G1 Mundo

Milei vira ‘troll’ nas redes sociais e ataca congressistas e governadores enquanto governa a Argentina

today9 de março de 2024 9

Fundo
share close

Com repostagens ou “curtidas”, o mandatário ultraliberal se expressa nas redes por meio de terceiros, em sua maioria usuários que fazem parte de um ecossistema digital favorável ao seu governo. Desta maneira, amplifica elogios, revela e reproduz anúncios e dirige ataques a seus adversários.

O volume é frenético. Por exemplo, nos 62 primeiros dias desde sua posse, em 10 de dezembro, Milei deu cerca de 14 mil “curtidas” e fez 4.364 publicações, das quais 111 foram de sua autoria e o restante de republicações, segundo um levantamento do jornal “La Nación”.

Colocando de outra forma, nesse período, a cada hora, Milei:



  • Publicou 2,93 tuítes.
  • Curtiu 9,4 publicações.

No café da manhã, no almoço e à noite

“Basicamente uso as redes sociais no café da manhã, no momento do almoço e à noite”, disse Milei em uma entrevista ao canal LN+. Ele afirmou que quando viaja, o uso fica ainda mais intenso.

Estudante desmaia durante discurso de Milei em escola na Argentina

Estudante desmaia durante discurso de Milei em escola na Argentina

Ele disse isso em Washington, depois de participar do encontro conservador CPAC (do qual costuma participar o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do ex-presidente Bolsonaro) em 24 de fevereiro.

De acordo com um levantamento da AFP, nos quatro dias de viagem, Milei curtiu cerca de 2.300 publicações e reproduziu mais de 1.100 publicações —entre elas, seu encontro com o ex-presidente Donald Trump—, que republicou mais de 100 vezes.

Para Ernesto Calvo, cientista político argentino radicado em Washington, a estratégia digital de Milei “segue o exemplo” de Trump, embora ele considere que a comunicação do argentino é “errática”.

Milei afirma que ele cuida do seu X (ex-Twitter), mas esse especialista em redes sociais coloca isso em dúvida devido ao “nível de atividade” excessivo.

Na semana passada, o presidente publicou uma foto no Instagram feita com Inteligência Artificial que mostrava a Estátua da Liberdade com seu rosto, mais uma das muitas montagens com a sua imagem que circulam em suas redes desde a campanha presidencial.

Perfil de influencer ‘troll’

“Milei encarna o perfil do influencer troll em sintonia com a cultura digital atual”, explica o sociólogo Silvio Waisbord em um artigo publicado neste mês na revista Anfibia.

“Os trolls humilham os outros, os adversários e qualquer pessoa com quem se deparam. Eles são provocadores que gostam de insultar e menosprezar. Eles usam ironia e sarcasmo que refletem um senso de superioridade em relação aos seus alvos”, afirmou.

Depois curtiu publicações que exigiam a renúncia de dois funcionários apontados como “traidores”. A saída dos dois foi confirmada horas depois.

Milei compartilhou um meme de uma cena de um filme pornô que mostrava uma jovem com a cara de Torres e quatro homens musculosos atrás dele com os rostos de jornalistas favoráveis ao governo.

Reprodução de mensagem que Javier Milei compartilhou na rede social X — Foto: Reprodução/Twitter

A segunda publicação que curtiu, e que depois foi excluída do X, mostrava uma imagem editada do governador com as características de uma pessoa com síndrome de Down.

A Associação Síndrome de Down da Argentina (ASDRA) manifestou seu rechaço em um comunicado no qual recordou que o presidente já havia usado a palavra “mongolóide” como xingamento.

A Anistia Internacional Argentina também repudiou as duas publicações: “Um presidente não pode endossar discursos violentos e práticas criminosas”, escreveu a ONG.

A expressão “eles não estão vendo” é um slogan que surgiu nas redes sociais e que os seguidores de Milei instalaram no discurso público. Ela se refere àqueles da oposição que não entendem ou não aprovam a direção tomada pelo governo.

“Os kirchneristas seguem sem ver”, afirmava uma publicação replicada por Milei no X na semana passada que destacava uma pesquisa sobre sua imagem positiva.

Tanto os autoelogios à sua gestão, que o consideram “o melhor presidente da história”, como os ataques a opositores são reproduzidos em um contexto de crescente conflito social.

São reações ao plano econômico que Milei denominou “motosserra e liquidificador”: uma tentativa de cortar o déficit fiscal com uma drástica redução do gasto público e uma liquidação dos salários e das aposentadorias impulsionada pela inflação de mais de 250% interanual em janeiro.

“A pergunta é se pode governar com esse discurso tão violento contra a política”, indicou à AFP Ernesto Calvo.

Uma pesquisa da consultoria Aresco divulgada por Milei em suas redes lhe dá 56% de imagem positiva, o mesmo número que obteve no segundo turno. Outro estudo da consultoria Opinaia indica que a imagem do presidente caiu sete pontos entre dezembro e fevereiro, de 59% para 52%.

Para Calvo, “se sua popularidade cair, se sua posição política for enfraquecida, se em algum momento ele precisar de qualquer um desses atores ou se esses atores eventualmente virem sangue na água, que isso vai acontecer, nesse momento o custo político é ampliado enormemente”.

Tuíte republicado por Javier Milei com críticas aos deputados argentinos — Foto: Reprodução




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

foto-historica-que-mostra-beijo-nao-consensual-no-fim-da-segunda-guerra-mundial-vira-pivo-de-debate-nos-eua

G1 Mundo

Foto histórica que mostra beijo não-consensual no fim da Segunda Guerra Mundial vira pivô de debate nos EUA

Uma foto histórica, que se tornou polêmica, está no centro de uma disputa nos Estados Unidos. Tirada no final da Segunda Guerra Mundial, a foto mostra um beijo entre um marinheiro e uma enfermeira. Mas o beijo foi 'no susto', não-consensual. Por isso, um subsecretário assistente do Departamento de Assuntos de Veteranos (de guerra) dos Estados Unidos (AV) elaborou um memorando em 29 de fevereiro para proibir exibições públicas da […]

today9 de março de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%