G1 Santos

Ministério Público denuncia ‘Chip’, preso por matar PM da Rota com tiro no rosto no litoral de SP

today11 de março de 2024 5

Fundo
share close

O policial foi baleado durante patrulhamento na Praça José Lamacchia, no bairro Bom Retiro, no último dia 2 de fevereiro. Ele chegou a ser levado para a Santa Casa de Santos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local. ‘Chip’ foi preso em Uberlândia (MG), no dia 14 daquele mês.

Segundo o MP-SP, se a Justiça aceitar os termos da denúncia, ‘Chip’ responderá por organização criminosa majorada [aumentada] pelo uso de arma de fogo e homicídio, com cinco qualificadoras, são elas: motivo torpe [sórdido], finalidade de garantir a impunidade de outros delitos, impossibilidade de defesa da vítima, crime contra agente de segurança pública e uso de armamento restrito.

PM da Rota Samuel Wesley Cosmo (à esq.) morreu após ser baleado por Kaique Coutinho do Nascimento, o ‘Chip’ (à dir.) — Foto: Reprodução e Divulgação/Polícia Civil



Em nota, o órgão acrescentou que, para a Promotoria do Júri de Santos, Chip assassinou o PM para fugir e não ser preso por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Por fim, o MP-SP afirmou que o promotor também requereu na denúncia que ‘Chip’ tenha a prisão temporária convertida em preventiva.

A 3ª fase da Operação Verão permanece em andamento por tempo indeterminado. Já foram registradas 40 mortes de suspeitos (veja a tabela abaixo).

Mortes de suspeitos

Cidade Número de mortos Percentual
Santos 20 50%
São Vicente 11 27.5%
Guarujá 5 12.5%
Cubatão 2 5%
Itanhaém 2 5%

A Ouvidoria da Polícia de São Paulo e as entidades de segurança pública e proteção de direitos humanos também entregaram à Procuradoria-Geral de Justiça do Estado um relatório com irregularidades nas abordagens de policiais durante a Operação Verão na Baixada Santista.

Além das denúncias, o documento conta com uma série de recomendações aos órgãos públicos para que cessem as violações de direitos humanos praticadas pela polícia.

Na manhã deste sábado (9), uma manifestação a favor da Operação Verão reuniu moradores, representantes de associações, policiais militares e deputados estaduais, que integram a chamada ‘Bancada da Bala’. O ato ocorreu na Praça das Bandeiras, na orla da praia do Gonzaga, em Santos.

Policiais militares Marcelo Augusto da Silva, Samuel Wesley Cosmo e José Silveira dos Santos, mortos na Baixada Santista (SP) — Foto: Reprodução/Redes Sociais e g1 Santos

No dia 26 de janeiro, o policial militar Marcelo Augusto da Silva foi morto na rodovia dos Imigrantes, na altura de Cubatão. Ele foi baleado enquanto voltava para casa de moto. Uma grande quantidade de munições estava espalhada na rodovia. O armamento de Marcelo, no entanto, não foi encontrado.

Segundo a Polícia Civil, Marcelo foi atingido por um disparo na cabeça e dois no abdômen. Ele integrava o 38º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) de São Paulo, mas fazia parte do reforço da Operação Verão em Praia Grande (SP).

No dia 2 de fevereiro, o policial das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Samuel Wesley Cosmo morreu durante patrulhamento de rotina na Praça José Lamacchia. O agente chegou a ser socorrido para a Santa Casa de Santos (SP), mas morreu na unidade.

Uma gravação de câmera corporal obtida pelo g1 mostra o momento em que o soldado da Rota foi baleado no rosto durante um patrulhamento no bairro Bom Retiro (assista no topo da reportagem).

Cinco dias depois, o cabo PM José Silveira dos Santos, do 2⁰ Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP), morreu ao ser baleado durante patrulhamento no bairro Jardim São Manoel, em Santos. Na ocasião, outro policial militar foi baleado e internado – ele recebeu alta médica no dia 21.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

transferir-veiculo-para-guaruja-garante-restituicao-parcial-do-ipva

Prefeitura de Guarujá

Transferir veículo para Guarujá garante restituição parcial do IPVA

Depois de quitar o imposto devido, munícipe poderá solicitar restituição equivalente a 25% do valor; benefício será concedido pela Prefeitura em dinheiro ou abatido no pagamento do IPTU de imóvel na Cidade Pessoas físicas e jurídicas que transferirem o registro de veículos automotores de sua propriedade à Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Guarujá poderão solicitar o valor correspondente a 25% do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) pago […]

today11 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%