G1 Santos

Morador de Guarujá preso em Brasília por participar de ato golpista diz ter protestado de forma pacífica

today16 de janeiro de 2023 30

Fundo
share close

Um morador de Guarujá, no litoral de São Paulo, foi preso durante a invasão às sedes dos Três Poderes, no último domingo (8). Ele alegou, em depoimento à Polícia Civil, ter ido a Brasília (DF) em um ônibus fretado para uma manifestação pacífica em apoio às forças armadas. Este, inclusive, foi o único posicionamento do homem, que não quis responder a outras questões, como profissão, onde mora e se tem bens.

A TV Globo teve acesso ao depoimento de José Gilmar de Oliveira Melo, de 44 anos, que está entre os presos envolvidos na invasão às sedes dos Três Poderes. A reportagem não localizou a defesa de Melo.

O g1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Distrito Federal e a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape) para mais informações, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.



Em depoimento, Melo disse que estava acampado em uma barraca em frente ao Forte dos Andradas em Guarujá quando um homem chegou e disse que havia fretado um ônibus para Brasília para realizar manifestações – ele não soube informar o nome da pessoa.

Melo disse se considerar um bolsonarista e informou que estava nas imediações do Palácio do Planalto quando percebeu que as manifestações ficaram violentas. Ele disse ter se abrigado no local devido à presença do Exército.

Ainda de acordo com ele, os militares pediram que os manifestantes deitassem no chão e permanecessem de maneira tranquila, mas que a tropa de choque da Polícia Militar fez uso de bombas de gás lacrimogênio e deu voz de prisão a todos que estavam no local.

Melo deve responder por tentar retirar do poder, por meio de violência ou grave ameaça, o governo legitimamente constituído. Se condenado, a pena é de 4 a 12 anos de prisão, além da pena correspondente à violência.

Sedes dos três poderes foram atacadas por manifestantes bolsonaristas em Brasília. — Foto: EPA via BBC

O prejuízo ao patrimônio público está calculado em, ao menos R$ 3 milhões apenas na Câmara dos Deputados, que junto com o Senado Federal compõe o Congresso Nacional.

A lista de pessoas presos nos ataques terroristas ocorridos na Praça dos Três Poderes, no domingo (8), em Brasília, chegou a 1.138 nomes, às 11h de quarta-feira (11) (veja a lista aqui).

Após os ataques, o g1 identificou algumas dos golpistas que apareciam em imagens viralizadas nos ataques. Na maior parte dos casos, as pessoas envolvidas nos atos terroristas gravaram a ação e publicaram em suas próprias redes sociais.

Invasão do Congresso, Planalto e STF em Brasília foi comparada ao ataque ao Capitólio nos EUA em 2021. — Foto: Reuters via BBC

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

policia-captura-dois-foragidos-em-registro,-sp,-que-nao-haviam-voltado-a-prisao-apos-a-saidinha-de-natal

G1 Santos

Polícia captura dois foragidos em Registro, SP, que não haviam voltado à prisão após a saidinha de Natal

Dois homens, de 19 e 21 anos, que estavam foragidos da Justiça, foram capturados por policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Registro, no interior de São Paulo, nesta segunda-feira (16). A dupla beneficiada pela saidinha de Natal deveria ter voltado à unidade prisional do município em 3 de janeiro. Segundo o Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6), a investigação apontou que ambos estavam escondidos nos fundos […]

today16 de janeiro de 2023 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%