G1 Mundo

Morte de Navalny: como a repressão faz parte de um dos pilares do regime de Putin na Rússia

today20 de fevereiro de 2024 9

Fundo
share close

A mulher de Navalny, Yulia Navalnaya, disse não acreditar totalmente na morte do marido. EUA e União Europeia culpam o governo Putin.

“A repressão, aqui, a gente inclui repressão a intelectuais, a jornalistas, ativistas de direitos humanos, opositores políticos. Tanto uma perseguição criminal, com leis bem draconianas, e também com a execução de opositores políticos”, avalia Ferraro.

Foto de arquivo mostra Alexei Navalny durante protestos em 29 de fevereiro de 2020 — Foto: Pavel Golovkin/AP



Politkovskaya recebeu diversos prêmios pela incansável busca de atos de desrespeito aos direitos humanos por parte do governo de Putin, particularmente na violenta província da Chechênia, no sul do país.

Os outros pilares, segundo Ferraro, são os ganhos econômicos e o ideológico.

“Assim como diversos outros regimes autoritários, o regime conta com o pilar de ganhos econômicos. A Rússia, quando a desintegração da União Soviética teve espaço no início dos anos 90, passou por uma profunda a crise econômica e foi se restabelecendo ao longo, exatamente, no período de Vladimir Putin. Então o Vladimir Putin ficou associado a essa ideia de ganhos econômicos substanciais.”

“O pilar ideológico, o pilar de legitimação ideológica, está diretamente relacionado à questão de que a Rússia estaria cercada de inimigos que querem destruí-la, que querem sufocá-la, e que Vladimir Putin seria o protetor, o ator que traz essa segurança contra esses inimigos tanto externos, quanto internos.”

O assassinato da oposição russa

O assassinato da oposição russa

‘Morte’ da oposição é um dos pilares do regime de Putin

‘Morte’ da oposição é um dos pilares do regime de Putin

O que você precisa saber:

O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Amanda Polato, Carol Lorencetti, Gabriel de Campos, Luiz Felipe Silva e Thiago Kaczuroski. Neste episódio colaborou: Sarah Resende.

VEJA CORTES DO PODCAST O ASSUNTO EM VÍDEO




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

se-hamas-nao-libertar-refens,-israel-diz-que-invadira-rafah-durante-o-ramada;-periodo-sagrado-aos-muculmanos-comeca-em-marco

G1 Mundo

Se Hamas não libertar reféns, Israel diz que invadirá Rafah durante o Ramadã; período sagrado aos muçulmanos começa em março

Israel ameaçou invadir Rafah no período do Ramadã, caso o Hamas não liberte os reféns que mantém em seu poder desde o início da guerra, em 7 de outubro de 2023. O período sagrado aos muçulmanos começa em 10 de março. "O mundo deve saber, e os líderes do Hamas devem saber: se até o Ramadã os nossos reféns não estiverem em casa, os combates continuarão em todas as partes, […]

today20 de fevereiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%