G1 Mundo

Mortes em protestos no Irã chegam a 380, diz Iran Human Rights Watch

today19 de novembro de 2022 12

Fundo
share close

Desde o início das manifestações no Irã, em setembor cerca de 380 pessoas morreram, incluindo pelo menos 47 crianças, segundo a Iran Human Rights Watch, organização que monitora as manifestações.

O país vive a maior onda de protestos de sua história, que eclodiram em reação ao caso da jovem curda Mahsa Amini, de 22 anos, que apareceu morta após ser presa pela chamada polícia dos bons costumes do país por “uso inadequado” do véu islâmico, obrigatório no Irã.

As reivindicações, contra a repressão às mulheres, rapidamente se tornaram o maior movimento para desafiar a República Islâmica desde a sua proclamação em 1979.



Em um protesto neste sábado em Divandarreh, no Curdistão, três civis morreram após a polícia abrir fogo contra os manifestantes, segundo a Organização Não Governamental (ONG) Hengaw, que também monitora a repressão policial aos atos.

O governo não confirmou as mortes.

Desde o começo dos protestos, o governo vem respondendo com forte repressão às manifestações. Entre os 380 mortos, 47 eram crianças, segundo disse o diretor da Iran Human Rights Watch, Mahmood Amiry-Moghadda, à agência de notícias France Presse.

A Hengaw acusou ainda a Guarda Revolucionária do Irã – como é chamada a polícia do país – de roubar o corpo de um manifestante que havia sido levado a um hospital.

“Ontem (18) à noite, membros da Guarda Revolucionária invadiram o hospital Shahid Gholi Pur em Bukan, levaram o corpo de Shahryar Mohamadi e o enterraram em um lugar secreto”, disse a organização Hengaw à AFP.

Nas últimas semanas, os funerais dos manifestantes motivaram novos protestos, em aberto desafio ao poder. Para dissuadir os atos, as forças de segurança não entregam os corpos aos parentes das vítimas familiares e os enterram em locais desconhecidos, denunciam os ativistas.

Na província do Azerbaijão Ocidental, centenas de pessoas marcharam perto da cidade de Mahabad neste sábado durante o funeral de Kamal Ahmadpur, um jovem morto pela polícia, segundo um vídeo divulgado pelo canal online 1500tasvir.

As forças iranianas “aumentaram significativamente o uso de armas letais em seus ataques contra manifestantes nos últimos cinco dias”, disse Hengaw. A ONG disse que somente na área do Curdistão, 25 pessoas foram mortas desde terça-feira.

No Irã, manifestantes queimam casa de fundador da república Islâmica

No Irã, manifestantes queimam casa de fundador da república Islâmica

Irã denuncia “silêncio” ante “terroristas”

O governo do Irã acusou a comunidade internacional de “silêncio” diante de atos que o governo classifica como “terroristas”.

“A nação iraniana e a comunidade internacional testemunharam nos últimos dias atos criminosos de um grupo de terroristas sem piedade contra cidadãos inocentes e forças de segurança”, disse o Ministério das Relações Exteriores.

“O silêncio deliberado dos estrangeiros, instigadores do caos e da violência no Irã, face às operações terroristas (…) tem como consequência encorajar o terrorismo e reforçar o terrorismo no mundo”, acrescentou.

O guia supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, prometeu “punição” para “assassinos” e aqueles que comentem atos de vandalismo nosprotestos.

Khamenei afirmou que as potências estrangeiras “tentam levar as pessoas às ruas” e procuram “esgotar as autoridades”, mas afirmou que falharam, segundo declarações divulgadas pela televisão estatal.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-que-se-sabe-sobre-a-filha-de-kim-jong-un-apresentada-durante-lancamento-de-missil

G1 Mundo

O que se sabe sobre a filha de Kim Jong-un apresentada durante lançamento de míssil

A jovem acompanhou o pai no lançamento de um míssil balístico intercontinental na sexta-feira (18/11). Kim comanda um dos países mais secretos do mundo e pouco se sabe sobre a sua vida pessoal A agência estatal de notícias da Coreia do Norte, KCNA, publicou várias fotos em que pai e filha aparecem de mãos dadas enquanto conversam, falam com pessoas ligadas ao governo, inspecionam os mísseis e olham o lançamento […]

today19 de novembro de 2022 18

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%