G1 Mundo

Negociações por cessar-fogo em Gaza serão retomadas neste domingo

today17 de março de 2024 7

Fundo
share close

As negociações para um novo cessar-fogo na guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas, na Faixa de Gaza, serão retomadas neste domingo (17). David Barnea, chefe da Mossad, o serviço de inteligência israelense, deve liderar as negociações com mediadores, entre os quais estão o primeiro-ministro do Catar e autoridades egípcias.

Os detalhes do plano israelense de cessar-fogo serão discutidos no Catar. De acordo com a Reuters, a retomada das negociações é uma resposta direta à proposta do grupo terrorista Hamas que previa uma troca de prisioneiros em duas etapas e que culminaria em um cessar-fogo permanente.

As negociações entre o chefe do Mossad, o primeiro-ministro do Catar e as autoridades egípcias se concentrarão nas pendências entre Israel e o Hamas, incluindo a libertação de prisioneiros e a ajuda humanitária, segundo uma fonte próxima às negociações.



Na sexta-feira (15), Israel disse que enviaria uma delegação para Doha, capital do Catar, mas não informou quem integraria a comitiva. Esperava-se que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu convocasse o gabinete de segurança antes das negociações. As autoridades israelenses não comentaram o caso.

Barnea já esteve envolvido em outras iniciativas para um acordo. Uma trégua de curta duração, em novembro de 2023, entrou em vigor após a sua participação nas negociações em Doha. A sua última reunião com o primeiro-ministro do Catar, em Janeiro de 2024, levou a uma proposta de cessar-fogo temporário. No entanto, na ocasião, o Hamas rejeitou o acordo.

O Hamas apresentou esta semana uma nova proposta de cessar-fogo aos mediadores e ao aliado de Israel, os Estados Unidos. Os repetidos esforços para chegar a um cessar-fogo e à troca de reféns por prisioneiros fracassaram este ano, apesar da crescente pressão internacional sobre o custo humano do ataque terrestre e aéreo de Israel a Gaza.

A guerra começou em 7 de outubro de 2023, quando o Hamas promoveu um ataque terrorista contra a Israel, matando 1.200 pessoas, a maioria civis, e fazendo 253 reféns, de acordo com os registros israelenses.

A campanha militar de Israel em resposta ao ataque matou mais de 31.500 palestinos, cerca de 70% deles eram mulheres e crianças, segundo o ministério da saúde em Gaza, controlada pelo Hamas.

A proposta apresentada pelo Hamas nesta semana, a qual Israel pretende responder com as negociações do chefe da Mossad, previa a interrupção temporária das hostilidades em duas etapas, segundo documento ao qual a Reuters teve acesso.

Na primeira, mulheres (incluindo recrutas), crianças e idosos israelenses seriam libertados em troca de 700 a 1000 prisioneiros palestinos —entre os quais há 100 que cumprem pena de prisão perpétua.

Ainda de acordo com a proposta, após a primeira etapa, o Hamas aceitaria discutir uma data para um cessar-fogo permanente.

Um prazo para a retirada israelense de Gaza seria acordado após essa primeira etapa, seguido pela libertação de todos os reféns de ambos os lados.

Israel aprova ataque contra Rafah

A invasão a Rafah causa preocupação na comunidade internacional. O porta-voz da Organização das Nações Unidas (ONU), Stephane Dujarric, expressou temor pela notícia: “As consequências de uma operação militar em Rafah nas atuais circunstâncias seriam catastróficas para os palestinos em Gaza, seria catastrófica para a situação humanitária. Esperamos que tudo isso possa ser evitado”, disse. O diretor da OMS também se manifestou no mesmo sentido.

Desde o início da guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas, os palestinos da Faixa de Gaza deixaram o norte, o centro e outras cidades do sul do território palestino por causa de bombardeios e ações por terra promovidos pelo Exército de Israel e se refugiaram em Rafah, que faz fronteira com o Egito. Veja antes e depois da cidade.

Israel anuncia ampliação da guerra no sul da Faixa de Gaza

Israel anuncia ampliação da guerra no sul da Faixa de Gaza




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

e-#fato:-policia-flagra-idosa-de-103-anos-dirigindo-a-noite-com-a-habilitacao-vencida-na-italia

G1 Mundo

É #FATO: Polícia flagra idosa de 103 anos dirigindo à noite com a habilitação vencida na Itália

Com o documento vencido há dois anos, Giuseppina Molinari foi multada e teve seu carro apreendido, segundo a imprensa local. Mas a idosa não quer abrir mão de sua independência e visita seus conhecidos de bicicleta. Giuseppina Molinari, de 103 anos, foi flagrada pela polícia italiana dirigindo com a habilitação vencida nesta semana. — Foto: Reprodução/Redes sociais Uma idosa de 103 anos foi flagrada por policiais dirigindo à noite com […]

today17 de março de 2024 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%