G1 Mundo

No interior da Ucrânia, ex-soldado se recupera graças à ajuda do pai

today19 de janeiro de 2023 11

Fundo
share close

Dentro de uma ala para soldados feridos em um hospital ucraniano, onde a luz do dia mal consegue penetrar, um pai conversa por horas com seu filho ferido. Serhii Shumei, de 64 anos, nunca repreendeu Vitalii por escolher ir para a guerra. Mesmo agora, apesar dos danos causados ao cérebro de seu filho pela explosão de um projétil de artilharia, Serhii sente orgulho — e não pena.

“Tenho estado constantemente com ele nos últimos cinco meses, ao seu lado. Eu não vou a lugar nenhum, exceto para fumar”, disse Serhii, ele próprio um ex-soldado aposentado.

Vitalii, de 34 anos, comandante de mísseis antiaéreos de longo alcance, foi ferido na região de Donbas, no leste do território ucraniano, um lugar que, em meio ao combate contínuo, tornou-se sinônimo de perdas terríveis tanto para a Ucrânia quanto para a Rússia.



O número de mortes é desconhecido porque nenhum dos lados faz a divulgação dessas informações. No entanto, a julgar pelo fluxo de soldados feridos que estão saindo da linha de frente para hospitais como aquele onde Vitalii está internado, é evidente que os custos são altos.

Ambos os lados enviaram tropas e recursos para capturar ou defender as fortalezas de Donbas, numa luta desgastante durante meses do que se tornou um sangrento impasse militar. Depois de contratempos em outras partes da Ucrânia durante a invasão de quase 11 meses do presidente Vladimir Putin, a Rússia está procurando algum tipo de sucesso pontual em Donbas, mesmo que isso se resuma a assumir o controle de uma ou duas cidades reduzidas a escombros. A Ucrânia quer tornar qualquer avanço da Rússia o mais custoso possível.

Como resultado, as cidades de Bakhmut e Soledar, situadas na área, se tornaram cenários infernais. O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky as descreveu como “completamente destruídas”, repletas de cadáveres e crateras e onde não há “quase nenhuma vida remanescente”.

“É essa a cara da loucura”, descreveu Zelensky.

Vitalii foi ferido em 25 de agosto em outra seção da linha de frente de Donbas, em Adviivka, cerca de 70 quilômetros ao sul de Bakhmut. O projétil que atingiu seu abrigo detonou outros explosivos.

A explosão abriu um buraco no crânio de Vitalii, de profundidade e largura equivalentes a meio melão. Seus ferimentos cerebrais foram tão graves que os médicos duvidaram que ele voltasse a mostrar sinais de consciência.

Com sequelas, Vitalii às vezes parece ter percepção do entorno. Ele pisca. Consegue engolir. Mas está praticamente imóvel. Serhii se recusa a desistir dele.

“Estamos vendo algum progresso, voltando à vida. Essa é a minha opinião”, disse o pai.

Ele passa horas ao lado de Vitalii, compartilhando notícias dos campos de batalha, recitando livros e lendo mensagens de apoio. Elas são enviadas por ucranianos gratos pelo seu serviço, que recomendam que ele “Agarre-se à vida! Precisamos de você!” e dizem “Você é forte! Você vai conseguir!”

Serhii Shumei, de 64 anos, lê cartas com mensagens de melhoras a seu filho Vitalii, de 34 anos, um soldado ucraniano gravemente ferido em uma batalha contra forças russas, em um hospital da cidade de Chernihiv, Ucrânia, na quarta-feira, 11 de janeiro de 2023. — Foto: AP/Efrem Lukatsky

Serhii diz que as lágrimas rolam pelo rosto de Vitalii quando ouve as cartas.

Outros sinais de melhora apareceram no final de dezembro, quando Vitalii começou a mexer os dedos dos pés, contou Serhii. O ex-soldado também começou a franzir a testa, o que o pai interpreta como um sinal de que seu filho está interessado no que ele está lendo.

Recentemente, houve outro avanço, segundo Serhii: respostas audíveis de Vitalii.

“Eu comecei a perguntar: ‘Você sabe quem eu sou?’ E ele respondeu: ‘Pai’”, afirmou Serhii.

Outra visitante frequente de Vitalii é Iryna Timofeyeva, uma voluntária que teve a ideia de coletar mensagens de apoio. “O amor da família, a atenção de outras pessoas, muitas vezes ajudam o paciente a manter uma dinâmica positiva”, disse ela.

É muito importante para o ferido que ele não esteja sozinho. É assim que ele entende que precisa lutar”, afirmou Timofeyeva.

Vitalii está, por enquanto, sozinho em sua ala, depois que outros pacientes foram transferidos para fazer a reabilitação em outro lugar. Mas é improvável que as camas ao seu redor fiquem vazias por muito tempo, dada a ferocidade da batalha em Donbas.

O hospital onde Vitalii está, em Chernihiv, ao norte da capital da Ucrânia, Kiev, está entre aqueles onde os soldados recebem cuidados de longo prazo, depois de terem seus ferimentos estabilizados mais perto da linha de frente. Serhii sente que cuidar de seu filho é sua contribuição para o esforço de guerra.

“Vou colocá-lo de pé novamente. Esse é o meu sonho”, disse o pai.

Inclinando-se para falar ao ouvido do filho, pergunta: “A Ucrânia vai ganhar, nós vamos ganhar, certo?” A resposta é o silêncio.

Serhii Shumei, de 64 anos, conversa com seu filho Vitalii, de 34 anos, um soldado ucraniano gravemente ferido em uma batalha contra forças russas em um hospital da cidade de Chernihiv, Ucrânia, na quarta-feira, 11 de janeiro de 2023. — Foto: AP/Efrem Lukatsky




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

primeiro-ministro-britanico-faz-video-no-banco-de-tras-de-carro-sem-cinto-e-depois-pede-desculpas,-diz-porta-voz

G1 Mundo

Primeiro-ministro britânico faz vídeo no banco de trás de carro sem cinto e depois pede desculpas, diz porta-voz

No Reino Unido, uma pessoa pode ser multada em até 500 libras (R$ 3.200) se não usar o cinto de segurança. Primeiro-ministro britânico Sunak pede desculpas por não usar cinto de segurança O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, pediu desculpas por um erro depois de entrar em um carro e não usar o cinto de segurança para gravar um vídeo para as redes sociais, disse um porta-voz de Downing Street nesta […]

today19 de janeiro de 2023 19

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%