Pleno News

O déficit extraordinário de R$ 231 bilhões no governo Lula

today27 de fevereiro de 2024 6

Fundo
share close

Ives Gandra – 27/02/2024 13h36

Lula Foto: Ricardo Stuckert /PR

O governo Bolsonaro, que teve um déficit grande, porque o país parou durante a pandemia de Covid-19, conseguiu terminar o seu governo em 2022 com um superávit de R$ 51 bilhões.

O presidente Lula que, desde o início do seu atual mandato, dizia estar gastando sem saber como encontrar receitas, aumentou de 23 para 38 o número de ministérios, promoveu gastos sem saber se caberiam no orçamento e encerrou o ano de 2023 com um déficit de R$ 231 bilhões.

Se considerarmos que houve um saldo de R$ 51 bilhões no governo Bolsonaro, Lula esgotou o saldo positivo deixado por Bolsonaro e gastou mais R$ 231 bilhões da receita que teve. Vale dizer: estourou o teto em R$ 282 bilhões!!!

Dizem que foi por causa dos precatórios, porque tinham que atender necessidades, mas a verdade é que as contas públicas, com esse furo extraordinário, traz uma preocupação muito grande para aqueles que veem o Brasil como um país que não poderá pagar sua dívida um dia. Basta dizer que sempre estivemos entre os dez maiores receptores de investimentos estrangeiros mas, no primeiro ano de Lula, caímos para o 14º lugar!!!



Houve aumento tributário: tivemos aumento da carga tributária em 2023 em determinados setores, um aumento no endividamento do país, o que é péssima sinalização para os investidores, que investem nos países que são considerados confiáveis.

Tenho a sensação de que não adianta dizer: “Encontrei um país desorganizado”. Ora, era um país desorganizado com R$ 51 bilhões de superávit? Será que é agora que o país está “organizado”, com R$ 231 bilhões de déficit?

Vale dizer, não é no discurso, nas histórias, nas narrativas, que o governo anterior não funcionou, quando o ministro da economia era Paulo Guedes, o qual deixou o superávit acima, mas que o país funciona agora, num governo que está com déficit elevadíssimo, aumentando a carga tributária e o endividamento.

Lembro que Roberto Campos (o avô) – com quem fundei, ao lado de outros grandes economistas (Simonsen, Galvêas, Serra, Delfim e outros) a Academia Internacional de Direito e Economia/AIDE -, dizia ter grande admiração por Paulo Guedes.

Se o ministro Fernando Haddad não conseguir efetivamente reorganizar a economia para enfrentar 2024, colocando em ordem as contas públicas, certamente entraremos numa rota de colapso em 2025 e em 2026.

A inflação só foi controlada pelo excelente trabalho de Roberto Campos Neto, na presidência do Banco Central.

Creio que todos os holofotes estão agora sobre o Ministério da Fazenda. Como equacionar um déficit tão grande para um ano em que eles pretendem um déficit zero? Estou falando de déficit primário, em que não se conta o serviço da dívida, por exemplo.

Vejo, no aspecto econômico, o país tomando um rumo que não me agrada, saindo de um superávit de R$ 51 bilhões em 2022 para um déficit de R$ 231 bilhões; o segundo maior déficit da história em um ano, só comparável àquele em que o país parou quando houve a pandemia de covid, em 2020.

Tenho sempre esperança que o governo termine por acertar, mas o receio é muito grande que a esperança não se realize.

Ives Gandra da Silva Martins é professor emérito das universidades Mackenzie, Unip, Unifieo, UniFMU, do Ciee/O Estado de São Paulo, das Escolas de Comando e Estado-Maior do Exército (Eceme), Superior de Guerra (ESG) e da Magistratura do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, professor honorário das Universidades Austral (Argentina), San Martin de Porres (Peru) e Vasili Goldis (Romênia), doutor honoris causa das Universidades de Craiova (Romênia) e das PUCs PR e RS, catedrático da Universidade do Minho (Portugal), presidente do Conselho Superior de Direito da Fecomercio-SP e ex-presidente da Academia Paulista de Letras (APL) e do Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp).

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Com Javier Milei, Argentina tem 1° superávit mensal desde 2012

2 “Se for necessário endividamento para crescer, qual o problema?”

3 Estatais devem fechar o ano com rombo de quase R$ 6 bilhões

4 Haddad terá que explicar déficit de R$ 230 bilhões à Câmara

5 Governo registra no ano de 2023 o segundo pior déficit desde 1997

Siga-nos nas nossas redes!

O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Pleno News.

Por: Ives Gandra

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

sobe-para-34-o-numero-de-mortos-em-confrontos-com-a-pm-em-operacao-no-litoral-de-sp

G1 Santos

Sobe para 34 o número de mortos em confrontos com a PM em operação no litoral de SP

De acordo com o boletim de ocorrência (BO), o tiroteio aconteceu por volta de 22h20 de segunda-feira (26), no Caminho Doutor Geraldo Soares Novaes. Os PMs estavam em patrulhamento quando avistaram um grupo de homens, que fugiu ao notar a presença policial. Os agentes saíram da viatura e tentaram acompanhá-los, sem sucesso. Quando os policiais voltaram para o carro, porém, três outros homens apareceram e efetuaram disparos. Os PMs revidaram […]

today27 de fevereiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%