G1 Mundo

O drone que caiu perto de Moscou e preparava ataque na Rússia, segundo governador

today1 de março de 2023 13

Fundo
share close

Horas antes, o Ministério da Defesa havia dito que derrubara dois drones ucranianos no sul da Rússia.

A Ucrânia não assumiu a responsabilidade pelos ataques dentro da Rússia.

O drone caiu perto do vilarejo de Gubastovo, a cerca de 100 km de Moscou, onde a empresa de energia russa Gazprom possui uma fábrica.



A Gazprom disse à agência de notícias estatal russa RIA Novosti que suas operações no distrito de Kolomna não foram interrompidas.

O alvo do drone em Kolomna “provavelmente era uma instalação de infraestrutura civil, que não foi danificada”, postou Vorobyov no aplicativo Telegram.

“Não há vítimas ou danos no local. O FSB (serviço de segurança russo) e outras autoridades competentes estão investigando.”

Imagens compartilhadas pela imprensa e autoridades russas mostram um drone danificado em um campo coberto de neve em uma floresta. A região da fábrica da Gazprom é cercada por florestas.

O drone parece ser um UJ-22 Airborne, produto da fabricante ucraniana Ukrjet.

A Ukrjet diz que o veículo tem um alcance de 800 km — o suficiente para ser operado a partir da Ucrânia e chegar até o distrito russo de Kolomna, onde fica a Gazprom.

Uma pesquisa pela imagem em arquivos na internet não revelou fotos iguais, o que sugere que a foto é recente.

O assessor do ministro de Assuntos Internos da Ucrânia, Anton Gerashchenko, tuitou uma foto do drone.

“Ele [o drone] está a mais de 500 quilômetros da fronteira russa com a Ucrânia. Por isso Putin deve ficar com muito medo de se mostrar em público, já que os drones podem alcançar grandes distâncias”, escreveu ele no post.

Se a Ucrânia estiver mesmo por trás do drone que atingiu Kolomna, esta seria a tentativa de ataque de drone mais próxima da capital desde que a Rússia invadiu a Ucrânia há mais de um ano.

O Ministério da Defesa da Rússia acusa a Ucrânia de usar drones “para atacar a infraestrutura civil na região de Krasnodar e na República da Adigueia”. O governo diz que os drones foram “neutralizados por unidades de guerra eletrônica”.

Moscou acusou Kiev de estar por trás dos ataques à infraestrutura militar russa durante a guerra, mas a Ucrânia não confirma a informação.

Um ataque de drone ucraniano a uma base aérea de bombardeiros no sul da Rússia em dezembro deixou três mortos, disse Moscou.

Os militares ucranianos não admitiram oficialmente o ataque, mas o porta-voz da Força Aérea, Yuriy Ihnat, disse que as explosões foram consequência da presença na Ucrânia.

Poucas semanas antes, a Rússia acusou a Ucrânia de um ataque semelhante no mesmo aeródromo, que abriga bombardeiros que realizaram ataques com mísseis contra a Ucrânia.

Em agosto, uma série de explosões atingiu uma base militar na Crimeia — o que foi considerada uma expansão significativa do conflito da Ucrânia para a Crimeia, que foi anexada pela Rússia em 2014. A Ucrânia assumiu a responsabilidade por esse ataque.

O presidente Vladimir Putin pediu à agência de inteligência FSB na terça-feira para intensificar sua atividade contra o que ele chama de espionagem e sabotagem da Ucrânia e do Ocidente.

Ele instruiu o FSB a fortalecer a segurança nos territórios ocupados pela Rússia no leste da Ucrânia. Ele disse que as unidades posicionadas na fronteira precisam deter os grupos de sabotagem e impedir a passagem de armas e munições ilegais.

“Precisamos fortalecer nossa contra-espionagem em geral, porque os serviços especiais ocidentais têm sido tradicionalmente muito ativos em relação à Rússia“, disse ele.

“E agora eles colocaram mais pessoas e recursos técnicos contra nós. Precisamos responder à altura.”

O Ministério da Defesa da Rússia disse que seus caças estavam envolvidos em um exercício de treinamento no espaço aéreo ocidental do país na terça-feira, horas depois que o espaço aéreo sobre São Petersburgo foi fechado devido a relatos de um objeto não identificado.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

rei-charles-iii-retira-de-harry-e-meghan-residencia-no-reino-unido

G1 Mundo

Rei Charles III retira de Harry e Meghan residência no Reino Unido

O rei Charles III retirou do filho Harry e de sua nora Meghan Markle, que moram nos Estados Unidos, o uso de Frogmore Cottage, a residência do casal no Reino Unido, segundo afirmou a imprensa britânica nesta quarta-feira (1º). Frogmore Cottage foi concedida como residência aos duques de Sussex pela rainha Elizabeth II em 2018 como presente de casamento. A residência tem cinco quartos e fica perto do Castelo de […]

today1 de março de 2023 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%