G1 Mundo

O impacto ambiental da destruição de barragem na Ucrânia

today9 de junho de 2023 8

Fundo
share close

“Presumimos que partes da natureza selvagem serão destruídas para sempre”, disse o ministro do Meio Ambiente da Ucrânia, Ruslan Strilets, em entrevista à DW.

Drone mostra áreas residenciais de Kherson, na Ucrânia, debaixo d’água



Drone mostra áreas residenciais de Kherson, na Ucrânia, debaixo d’água

Ele classificou o rompimento da barragem como “o maior crime ambiental cometido desde o primeiro dia da invasão” da Ucrânia pela Rússia, em fevereiro de 2022.

Segundo Strilets, grandes áreas de um parque nacional foram destruídas, assim como grandes partes da Emerald Network, uma rede europeia de áreas protegidas estabelecida para preservar espécies e habitats ameaçados em todo o continente.

Sua pasta acredita “que talvez 600 a 800 toneladas de óleo lubrificante tenham sido despejadas na água”.

Outras fontes não verificadas do governo ucraniano chegam a mencionar que cerca de 150 toneladas de óleo fluíram até agora para o rio Dnipro – e mais 300 toneladas ainda poderiam vazar.

Além disso, a flora e a fauna também devem ser afetadas. O óleo é altamente tóxico para toda a vida aquática e terrestre. Mesmo pequenas quantidades são suficientes para contaminar o solo e a água. Dados exatos sobre os danos ainda não estão disponíveis.

“Este é um ato bárbaro, um verdadeiro ecocídio e uma futura catástrofe humanitária. Previmos esta situação e, infelizmente, o pior cenário se confirmou”, destacou Strilets, acrescentando que cerca de um milhão de pessoas devem ficar sem água.

Logo após a explosão, o primeiro-ministro ucraniano, Denys Schmyhal, falou sobre o risco de inundação em até 80 cidades. Cientistas da Universidade de Ciências Aplicadas de Magdeburg-Stendal, na Alemanha, calcularam, em um modelo inicial, que 60 mil pessoas poderiam ser afetadas, sendo um terço delas em situação de risco.

Segundo o governador da região de Kherson, Olexander Prokudin, há 16 mil pessoas na zona de risco. A União Europeia fala em centenas de milhares de civis cujas vidas estariam em jogo. Ainda não há informações sobre possíveis feridos.

“As consequências diretas são semelhantes a qualquer outra inundação”, explica Nickolai Denisov, da Zoi Environmental Network, uma ONG com sede em Genebra.

No entanto, o que difere essa catástrofe de outras inundações é a velocidade da água.

“Áreas naturais geralmente não ficam debaixo de tanta água. Ainda mais nesse ritmo. Então isso vai causar danos diretos.”

Denisov aponta que especialmente a inundação de áreas industriais causará problemas.

“Nesse caso, se a água entra na área industrial, geralmente não se está preparado para isso. A poluição é transportada para fora da área. Não é o tipo de poluição que vem com águas residuais industriais. Portanto, é uma carga adicional, e isso está prestes a acontecer.”

“Consequências ambientais sem precedentes”

Olena Kravchenko, diretora da ONG ucraniana Environment People Law, disse ao jornal britânico Guardian que o rompimento da barragem pode ter “consequências ambientais sem precedentes” nas áreas a jusante do Dnipro, no estuário do Dnipro e nos ecossistemas costeiros do Mar Negro. A agricultura também pode ser afetada pela poluição química e pela falta de água corrente.

O Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (IFAW, na sigla em inglês) acredita que, embora as populações locais de vida selvagem sejam prejudicadas, muitos animais retornarão após o desastre.

A situação, no entanto, é pior para animais de estimação, que muitas vezes não são evacuados com as pessoas.

“Já recebemos informações de que os abrigos de animais vizinhos estão sobrecarregados com pedidos de resgate. Em Nova Kakhovka, no território ocupado pela Rússia, um pequeno zoológico foi completamente inundado. Todos os animais, exceto os cisnes, morreram”, disse Natalia Gozak, chefe de resgate de animas selvagens da IFAW na Ucrânia, em um comunicado na terça-feira.

Além do rompimento da barragem, a guerra já causou sérios danos ao meio ambiente. Solo e água estão poluídos em grandes partes do país por munições de guerra e pela destruição de plantas industriais, com o vazamento de produtos químicos.

A desorganização do descarte local de lixo também é um problema crescente. Incêndios, danos causados ​​por granadas e extração ilegal de madeira também destruíram partes significativas de floresta na área de conflito.

Ucrânia e Rússia acusam-se mutuamente de explodir a barragem. Em uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONO, o embaixador ucraniano disse tartar-se de um “ato de terrorismo ecológico e tecnológico”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

fonoaudiologia-do-siad-atende-185-pacientes

Prefeitura de Guarujá

Fonoaudiologia do Siad atende 185 pacientes

Acompanhamento semanal dura entre 45 minutos e 1 hora; objetivo é preparar os cuidadores para a missão de ajudar na qualidade de vida dos acamados O sorriso no rosto de Roberto Matias Silva da Luz, de 26 anos, é uma das maiores conquistas do trabalho realizado pela fonoaudióloga do Serviço de Internação e Atendimento Domiciliar (Siad) da Prefeitura de Guarujá, Priscila Maria Loureiro Capps Conti. Ele tem grande parte do corpo enrijecido […]

today9 de junho de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%