G1 Mundo

O plano dos EUA para gerar contrainformação na Coreia do Norte

today18 de janeiro de 2023 13

Fundo
share close

Como parte de um pacote anual mais amplo de gastos com defesa, o presidente dos EUA, Joe Biden, sancionou no final de dezembro a chamada Lei de Otto Warmbier. A regra se destina a combater a censura e vigilância generalizada de Pyongyang contra seus cidadãos e leva o nome do estudante americano preso em Pyongyang em 2016 sob a acusação de subversão e condenado a 15 anos de prisão por roubar um cartaz. Libertado em junho de 2017 em estado vegetativo, Warmbier, de 22 anos, morreu seis dias depois em um hospital em Ohio, nos EUA.

De acordo com a lei, os fundos serão canalizados para a Agência dos Estados Unidos para a Mídia Global, que atua efetivamente como uma organização promocional para o governo dos Estados Unidos, transmitindo e disseminando informações em todo o mundo.

“É interessante para mim como os EUA agora parecem estar mais dispostos a operar na ‘zona cinza’ explorada por outros países já há algum tempo, com a guerra de informação agora sendo apenas uma das medidas coercitivas aplicadas enquanto ainda permanece abaixo dos limiares que desencadeariam um conflito convencional”, disse , à DW Dan Pinkston, professor de relações internacionais no campus de Seul da Troy University.



EUA esperam que norte-coreanos “façam mais perguntas”

“Washington está tentando tirar o atraso em relação à Rússia, que tem sido particularmente eficaz em plantar propaganda para promover seus próprios objetivos geopolíticos”, disse Pinkston.

O programa dos EUA se concentrará em programação de rádio adicional na Coreia do Norte, assim como no desenvolvimento de “ferramentas de liberdade na internet”, que são projetadas para ajudar os usuários a contornar as limitações impostas ao acesso gratuito ao mundo digital pelo governo norte-coreano.

“O rádio deve ser relativamente fácil, mas o acesso à internet será um desafio maior”, avalia Pinkston, acrescentando que as “abordagens mais sofisticadas” podem não ser notadas por Pyongyang a princípio, mas “podem rapidamente ter um efeito insidioso em sua própria propaganda”.

“Idealmente, um ‘ataque’ bem-sucedido usando informação será negligenciado por algum tempo e, portanto, será mais sutil e terá o objetivo de longo prazo de desestabilizar e levar o povo da Coreia do Norte a fazer mais perguntas”, explicou Pinkston.

Coreia do Norte reprime mídia estrangeira

Eujin Kim, que fugiu com sua mãe e irmã da província de Hamgyong do Norte nos anos 1900 devido à escassez de alimentos que assolava sua terra natal, disse que obter mais informações na Coreia do Norte encorajaria críticas ao regime, mas alerta que isso pode ser perigoso.

Nos últimos meses, Pyongyang intensificou sua repressão a qualquer um que seja pego ouvindo transmissões de rádio estrangeiras ou assistindo a filmes ou programas de televisão contrabandeados para o país, segundo analistas e desertores. Houve relatos de que adolescentes que foram vistos praticando movimentos de dança ao som K-pop, gênero musical sul-coreano, foram enviados para colônias penais.

“Vinte anos atrás, muito pouca informação sobre o mundo exterior chegava à Coreia do Norte, mas agora muitas pessoas lá veem notícias, programas de televisão ou filmes do exterior”, disse Kim, membro da Freedom Speakers International, organização que ajuda os norte-coreanos refugiados a aprendem inglês.

“Mas por volta do ano passado, ficou claro que o governo está se esforçando muito para controlar as informações que chegam ao país. O regime está muito preocupado com isso, porque significa uma ameaça e, apenas alguns dias atrás, ouvi dizer que um adolescente foi executado por assistir a um filme sul-coreano”, disse ela.

“Situação cada vez mais difícil”

O jornal Daily NK, com sede em Seul, informou no final de dezembro que os cidadãos norte-coreanos estão sendo obrigados a assistir a exibições de filmes do governo que mostram a humilhação pública e a punição de pessoas que foram pegas com filmes estrangeiros. Conteúdos estrangeiros são descritos pelo regime como “toxinas perigosas que instilam ilusões sobre os países inimigos e paralisam a consciência revolucionária e de classe”.

As imagens mostram grupos de pessoas repreendidos por multidões em um estádio esportivo, com as cabeças baixas enquanto aparentemente aguardam sua sentença pública.

Em janeiro, o governo da Coreia do Norte aprovará a Lei de Proteção da Língua Cultural de Pyongyang, que proíbe os cidadãos de usar termos estrangeiros ao falar ou escrever. Também aumentará as punições por acessar a mídia estrangeira.

“Está ficando cada vez mais difícil. As pessoas têm seus rostos públicos e seus pensamentos privados, mas é cada vez mais perigoso compartilhar esses pensamentos”, disse Kim.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

governo-de-maduro-exige-desbloqueio-de-dinheiro-no-exterior-para-dialogar-com-a-oposicao

G1 Mundo

Governo de Maduro exige desbloqueio de dinheiro no exterior para dialogar com a oposição

Representantes do governo chavista (liderado por Nicolás Maduro) e de membros da oposição venezuelana estão no México nesta terça-feira (17) para tentar chegar a um acordo. O chavismo exige o fim das sanções financeiras impostas com maior rigor pelos Estados Unidos, que não reconhece a reeleição de Maduro em 2018. Por sua vez, a oposição pede um cronograma para as eleições presidenciais previstas para 2024, com garantias e a suspensão […]

today18 de janeiro de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%