G1 Mundo

O preço da liberdade: Massachusetts propõe reduzir pena de preso que doar órgão

today2 de fevereiro de 2023 13

Fundo
share close

A liberdade tem preço para deputados democratas da Câmara de Massachusetts empenhados em aprovar um controverso projeto de lei que estabelece a redução da sentença de presidiários em troca da doação de órgãos e da medula óssea. A proposta levanta uma questão ética: o preso teria um abono que varia entre 60 e 365 dias em sua pena ao ceder um órgão para quem está na fila de transplante.

O projeto é encarado pelos críticos como uma forma de coerção aos seis mil presidiários do estado. Atualmente, só é permitido que eles doem órgãos ou a medula aos parentes mais próximos.

A maioria dos estados não permite a prática. Se a lei for aprovada, poderia funcionar como o trampolim para a liberdade da parte mais vulnerável da população carcerária de Massachusetts: dependendo do órgão doado, ele poderia antecipar a saída em até um ano.



Setembro Verde incentiva conversa sobre doação de órgãos — Foto: Reprodução/RPC

O dilema ético foi exposto nas reações difundidas nas redes sociais. “Alguém pode doar um coração ao autor do projeto de lei?”, questionou um usuário no Twitter.

Uma das autoras, a deputada estadual Judith García, esclareceu em sua conta na rede social que o estado tem cerca de 5 mil pessoas à espera de um transplante. No seu entender, o programa teria impacto especialmente nas comunidades negra e hispânica, mais afetadas pela desigualdade racial no sistema de saúde.

O projeto prevê um comitê de cinco pessoas para supervisionar o processo, com o objetivo de definir quem seria elegível e estabelecer a redução da pena para o presidiário que aceitasse a troca.

A proposta dos legisladores de Massachusetts recebeu críticas da United Network for Organ Sharing, que monitora os transplantes de órgãos nos EUA e contabiliza 105 mil pacientes nessa situação.

O suposto incentivo esbarra também num preceito da Lei Nacional de Transplantes de Órgaos, que proíbe a troca de um órgão por “prestação de valor” – no caso em questão, a liberdade do preso.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

daniel-alves:-juiza-ve-indicios-‘mais-que-suficientes’-de-estupro,-diz-jornal

G1 Mundo

Daniel Alves: Juíza vê indícios ‘mais que suficientes’ de estupro, diz jornal

A juíza espanhola Anna Marín, responsável por avaliar a acusação de que o jogador brasileiro Daniel Alves estuprou uma jovem de 23 anos no banheiro de uma boate em Barcelona, na Espanha, vê indícios "mais que suficientes" de que o crime foi cometido, segundo o auto de investigação ao que o jornal catalão "El Periódico" teve acesso. A afirmação é, por enquanto, apenas uma observação no texto de Marín, responsável […]

today2 de fevereiro de 2023 16

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%