G1 Mundo

O que se sabe sobre morte de família luso-brasileira atropelada em ponto de ônibus nos EUA

today22 de março de 2024 16

Fundo
share close

Confira abaixo o que já se sabe sobre o acidente:

  1. Onde aconteceu
  2. Como aconteceu
  3. Quem são as vítimas
  4. Quem dirigia o veículo
  5. Repercussão

O atropelamento ocorreu no cruzamento entre as ruas Ulloa e Lenox, na região sudoeste da cidade de São Francisco, na Califórnia.



Em entrevista à agência de notícias Associated Press (AP), um amigo das vítimas afirmou que elas aguardavam um ônibus para ir ao zoológico quando o acidente ocorreu.

Segundo o jornal localSan Francisco Chronicle”, a SUV branca estava na contramão e subiu na calçada, supostamente em alta velocidade, atingindo as vítimas.

Policiais no local onde família luso-brasileira foi atropelada e morta, nos EUA — Foto: Benjamin Fanjoy/San Francisco Chronicle via AP

A polícia busca entender se a motorista, uma idosa, teve alguma emergência médica, estava desviando de algo, se distraiu ou foi negligente com as leis de trânsito. Falhas no veículo também são uma hipótese.

Questionada pelo g1, a defesa da condutora negou que ela estivesse sob efeito de álcool ou remédios no momento do ocorrido. O advogado não quis falar sobre as alegações de que o carro estaria na contramão e em alta velocidade.

Matilde com Cauê e Diego com Joaquim, em uma praia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Diego Cardoso de Oliveira: brasileiro, de 40 anos, nascido em São Paulo. Ele estudou em uma escola técnica na Zona Leste da capital e fez faculdade de Design Digital na Universidade Anhembi Morumbi. Após trabalhar em agências de publicidade no Brasil e no Reino Unido, se mudou para os Estados Unidos, onde atuava como diretor de criação associado à Apple.

Matilde Moncada Ramos Pinto: a portuguesa de 38 anos estudou em um colégio internacional em Lisboa e se formou em artes cênicas na Queen Mary University, no Reino Unido. Ela trabalhava como produtora-executiva de filmes na empresa RSA Films, primeiro em Londres e depois na Califórnia. Casou-se com Diego há cerca de quatro anos.

Joaquim Ramos Pinto de Oliveira: a criança de 1 ano era o filho mais velho do casal. Ele já havia visitado o Brasil com a família.

Cauê Ramos Pinto de Oliveira: o bebê de 2 meses foi socorrido em estado grave, mas não resistiu. A morte foi confirmada na quarta-feira (20) pelo jornal “San Francisco Chronicle” com uma representante do poder Legislativo municipal. Segundo Myrna Melgar, a criança estava em cuidados paliativos devido à gravidade dos ferimentos sofridos.

Os outros três óbitos foram confirmados ao g1 pelo gabinete de medicina legal de São Francisco. Diego e Joaquim morreram no local do atropelamento. Matilde foi socorrida e levada para o hospital, onde foi a óbito no dia seguinte.

Nas redes sociais, a mãe de Matilde agradeceu pelo apoio que está recebendo de familiares e amigos e informou que a missa de 7º dia dos quatro será realizada em Lisboa, no sábado (23).

3. Quem dirigia o veículo

Atropelamento na Rua Ulloa, em São Francisco, nos Estados Unidos — Foto: Reprodução/Redes Sociais

A motorista da SUV foi identificada como Mary Fong Lau, de 78 anos, moradora de São Francisco. Ela foi hospitalizada e detida pela polícia local, sendo autuada por homicídio culposo sob direção de veículo automotivo, direção imprudente resultando em ferimento e violações das leis de trânsito.

Segundo Samuel Geller, advogado que está atuando na defesa de Lau, a motorista já foi liberada pela polícia, mas segue internada no hospital. Ele afirmou ao g1 que a cliente ficou machucada, mas sem ferimentos graves e, assim que tiver alta, poderá ir para casa.

Apesar de detida, ela ainda não foi indiciada, uma vez que as investigações seguem em curso.

Questionado sobre o depoimento da cliente à polícia, Geller disse que ainda não pode falar sobre o assunto. Ele também não soube informar se a família de Lau está prestando algum tipo de suporte aos parentes das vítimas.

Uma ONG chamada Walk San Francisco, que advoga há mais de 25 anos pela segurança no trânsito da cidade, promoveu homenagens à família durante toda a quarta-feira (20), montando um memorial no local do acidente.

Memorial em São Francisco, EUA, em razão da morte da família luso-brasileira atropelada no sábado (16) — Foto: Reprodução/Walk San Francisco

Mensagens de carinho e saudade de amigos da família luso-brasileira foram deixadas no local, assim como flores, velas e pares de sapados dos mortos.

A ONG também está promovendo uma campanha na internet para que os moradores da cidade enviem mensagens de descontentamento com o assunto às autoridades locais, para que tornem as leis de trânsito e a fiscalização mais rigorosas.

“Lamentamos os pedestres atropelados e mortos no Portal Oeste, em 16 de março de 2024. Essa é uma das piores tragédias de pedestres da história da nossa cidade. Mantemos essas vidas lindas e preciosas em nossos corações hoje e seguimos em frente. Mas, por favor, envie um e-mail a todos os líderes da cidade mostrando que São Francisco está unida para uma mudança real em nossas ruas”, declarou a Walk San Francisco.

Nas redes sociais, a prefeita London Breed, informou que compareceu ao local do acidente e a cena encontrada era “devastadora”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

‘tem-150-pessoas-enterradas-aqui,-e-conhecia-quase-todas.-so-eu-sobrei’:-o-inferno-da-guerra-esquecida-no-sudao

G1 Mundo

‘Tem 150 pessoas enterradas aqui, e conhecia quase todas. Só eu sobrei’: o inferno da guerra esquecida no Sudão

Um alto funcionário da Organização das Nações Unidas (ONU) descreveu o conflito como uma "guerra oculta" que mergulhou o país em um "dos piores pesadelos humanitários da história recente”, enquanto outros alertam que pode desencadear a maior crise de fome no mundo. Há também receios de que em Darfur, no oeste do país, possa estar começando a acontecer uma repetição daquilo que os EUA chamaram de genocídio há 20 anos. […]

today22 de março de 2024 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%