G1 Mundo

Onda de indignação cresce na Grécia e milhares pedem renúncia do governo após desastre de trem

today9 de março de 2023 7

Fundo
share close

A Grécia está paralisada nesta quarta pela greve decretada em diversos setores, principalmente no transporte e nos serviços públicos, para protestar contra o governo pela tragédia ferroviária.

Em Atenas, cerca de 40 mil pessoas marcharam em direção ao Parlamento pela manhã, de acordo com a polícia. Em Salônica, a segunda maior cidade do país, a manifestação reuniu ao menos 15 mil gregos.

Entre os cartazes, muitos pedidos de renúncia do governo do conservador Kyriakos Mitsotakis, que é criticado pela forma como tem tratado o grave desastre ferroviário que matou 57 pessoas.



No dia 1°, um trem de passageiros colidiu com um trem de cargas que circulava na mesma via em direção oposta na região de Lárissa. O chefe da estação, um ex-funcionário do Ministério da Educação que estava no cargo há pouco mais de um mês, admitiu o erro.

Os manifestantes reclamam a responsabilização da empresa Hellenic Train e de autoridades pelas más condições do sistema ferroviário do país. O chefe do governo tem sido criticado por dizer horas após o desastre que foi “um trágico erro humano”.

Um folheto distribuído nas ruas pela associação de estudantes de Atenas dá o tom da indignação que tomou as ruas do país. “Não é um acidente, é política”, diz o panfleto.

Diante do Parlamento grego nesta quarta, Niki Siouta, uma engenheira civil de 54 anos, deseja a renúncia do governo.

“Estou aqui para prestar homenagem aos mortos, mas também para expressar minha raiva e minha frustração.”

A engenheira acredita que as más condições da rede ferroviária estatal e a falta de um sistema de segurança eram as razões principais da tragédia que comove o país.

A população expressa sua indignação e amargura pela situação decadente dos serviços públicos na Grécia desde que o país passou por uma série de planos de austeridade econômica impostos pela União Europeia.

“Este é o mesmo governo que não dá dinheiro para educação e hospitais”, denunciaThanassis Oikonomou, representante do sindicato das empresas de ônibus de Atenas.

O desastre levou a vida de muitos jovens e estudantes. Imagens de pais enterrando seus filhos, muitas vezes transmitidas ao vivo pela televisão, abalaram o país.

O que as autoridades têm chamado de “tragédia nacional” é visto pela população como responsabilidade do governo.

Nos últimos dias, os sindicatos ferroviários relembraram os alertas dados anteriormente sobre as graves falhas técnicas nesta linha bem antes da tragédia, que nunca tiveram atenção das autoridades.

Embora prometendo indenização às famílias das vítimas, o ministro dos Transportes, Giorgos Gerepetridis, admitiu que o acidente poderia ter sido evitado se a instalação do “sistema global de gerenciamento remoto tivesse sido concluída”.

De acordo com reportagens da mídia grega, espera-se que outras autoridades ferroviárias sejam processadas nos próximos dias.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

quem-foi-clara-zetkin,-a-feminista-alema-precursora-do-8-de-marco

G1 Mundo

Quem foi Clara Zetkin, a feminista alemã precursora do 8 de Março

O primeiro Dia da Mulher já havia sido celebrado um ano antes, nos Estados Unidos, por iniciativa de mulheres do Partido Socialista da América. No entanto, seria a proposta de Zetkin, inspirada na bem-sucedida experiência americana, que originaria a comemoração universal. As celebrações tiveram início em 1911, em 19 de março, que seria oficialmente o primeiro Dia Internacional da Mulher, na Alemanha, na Dinamarca, na Suíça e no Império Austro-Húngaro. […]

today9 de março de 2023 16

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%