G1 Santos

Ouvidoria rebate Secretário de Segurança Pública de SP sobre ações da PM no litoral de SP e fala em ‘cenário de massacre’

today7 de março de 2024 8

Fundo
share close

O ouvidor da Polícia do Estado de São Paulo, Cláudio Aparecido da Silva, afirmou nesta quinta-feira (7) que a declaração do secretário da Segurança Pública do estado de São Paulo, Guilherme Derrite, não corresponde com a verdade. Derrite disse que não reconhece excessos na ação da Polícia Militar na Baixada Santista durante a Operação Escudo e a Operação Verão entre 2023 e 2024. Para a Ouvidoria, o “cenário é de massacre e crise humanitária”.

A afirmação de Derrite ocorreu após ter sido questionado sobre denúncias de abusos por parte de policiais pelo deputado estadual Eduardo Suplicy (PT) durante audiência da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

“Importante deixar claro que nenhum órgão correcional das polícias, Corregedoria da Polícia Militar, Corregedoria da Polícia Civil, recebeu qualquer denúncia, qualquer informação, qualquer relato oficial, de que houve abuso das forças policiais. Caso isso aconteça, com total transparência e absoluta certeza, isso será investigado”, afirmou Derrite.



Guilherme Derrite durante Comissão de Segurança Pública na Alesp — Foto: Reprodução/Alesp

Em resposta a declaração do secretário, o ouvidor da Polícia do Estado de São Paulo se posicionou nesta quinta-feira (7) por meio de nota. Segundo Claudio, apenas entre janeiro e o dia 7 de março, a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo encaminhou 44 ofícios, endereçados à Corregedoria da Policia Militar e Deinter 6, além do Comando Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Ministério Público, Governador do Estado de São Paulo, Secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Presidência da Alesp, Comissão de Direitos Humanos da Alesp, Comissão de Segurança Pública Alesp, Anistia Internacional e Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos do Ministério da Justiça e Cidadania.

Nos documentos, de acordo com ele, foram solicitadas imagens, laudos, boletins de ocorrência e elementos periciais, sem nenhuma resposta até o momento. Com isso, Ouvidoria ultrapassou a marca de mais de 3.500 casos em que a Corregedoria da PM não forneceu nenhuma resposta, segundo o ovuidor.

Com referência à Operação Escudo de 2023, de acordo com o ouvidor, nenhum dos ofícios direcionados à Polícia Científica do estado e Secretaria de Segurança Pública (SSP) foram respondidos. O mesmo se pode dizer com relação às ameaças de vida sofridas pelo ouvidor, onde apenas o Ministério Público respondeu.

“Não corresponde à verdade a declaração do Secretário, a qual só podemos atribuir [a declaração de Derrite] um provável processo contínuo de inviabilização do trabalho desta Ouvidoria, que representa, neste cenário de massacre e crise humanitária, uma das poucas salvaguardas da institucionalidade dos direitos da população que se vê em confronto com uma segurança crescentemente ineficaz e violenta”, afirmou o ouvidor, por meio de nota.

A Operação Verão foi estabelecida na Baixada Santista desde dezembro de 2023. No entanto, com a morte do PM Samuel Wesley Cosmo, em 2 de fevereiro, o estado deflagrou no dia seguinte a 2ª fase da ação com o reforço policial na região. De lá, para cá foram 39 mortes de suspeitos.

Mortes de suspeitos

Cidade Número de mortos Percentual
Santos 19 48,7%
São Vicente 11 28,2%
Guarujá 5 12,8%
Cubatão 2 5,1%
Itanhaém 2 5,1%

A Defensoria Pública de São Paulo, em conjunto com a Conectas Direitos Humanos e o Instituto Vladimir Herzog pedem fim da operação policial na região e a obrigatoriedade do uso de câmeras corporais pelos policiais militares.

A Ouvidoria da Polícia de São Paulo e as entidades de segurança pública e proteção de direitos humanos também denunciaram à Procuradoria-Geral de Justiça do Estado irregularidades nas abordagens de policiais durante a Operação Verão na Baixada Santista.

Além das denúncias, o documento conta com uma série de recomendações aos órgãos públicos para que cessem as violações de direitos humanos praticadas pela polícia.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-delirio-de-tentar-apaziguar-o-terrorismo-com-a-criacao-de-um-estado-palestino

Pleno News

O delírio de tentar apaziguar o terrorismo com a criação de um Estado Palestino

Lawrence Maximus - 07/03/2024 11h25 Mural com placas contendo fotos de reféns do Hamas Foto: EFE/Manuel Bruque Os Estados Unidos e cinco países árabes estão se unindo em um esforço inesperado para empurrar Israel para uma solução desgastada e ineficaz de dois Estados. O “raciocínio” que emerge dos Estados Unidos, Egito, Jordânia, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos beira o delírio. Isso porque, durante décadas, os palestinos tanto na […]

today7 de março de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%