G1 Mundo

Pai de menina russa que fez desenho contra guerra é condenado a dois anos de prisão na Rússia

today28 de março de 2023 7

Fundo
share close

A Justiça informou que o homem, que já estava em prisão domicilar, está foragido, e que a menina pode ter de ir a um orfanato.

O caso suscitou grande indignação durante semanas na Rússia e se tornou um dos símbolos da repressão impiedosa contra pessoas que se opõem à invasão do país à Ucrânia há mais de um ano pelo Kremlin na Ucrânia.

Nesta terça-feira, o tribunal de Efremov, a 300 km ao sul de Moscou, anunciou que o réu Alexei Moskaliov, colocado em prisão domiciliar desde 1° de março, havia desaparecido.



“O veredito foi lido na ausência do réu, porque ele desapareceu e não compareceu à audiência”, informou a assessora de comunicação do tribunal, Elena Mikhaïlovskaïa.

Pouco antes, o tribunal considerou Moskaliov, 54, culpado de ter “desacreditado” as forças armadas russas. Ele foi condenado a dois anos de prisão, sentença exigida no dia anterior pela promotoria.

O serviço de imprensa do tribunal acrescentou ainda que ele havia fugido na noite anterior, e seu advogado, Vladimir Bilienko, disse que o viu pela última vez na segunda-feira (27).

A guerra entre Rússia e Ucrânica completou um ano recentemente. — Foto: EPA

O caso começou quando a filha de Alexei, Maria Moskaliova, uma estudante de 13 anos do ensino médio, fez um desenho em sala de aula mostrando mísseis indo em direção a uma mulher e uma criança com uma bandeira ucraniana.

Em um contexto de perseguição às vozes críticas à ofensiva na Ucrânia, a diretora da escola imediatamente alertou a polícia.

Enquanto investigavam o pai, as autoridades anunciaram ter encontrado postagens online criticando a operação na Ucrânia, o que o levou a julgamento por “desacreditar os militares russos”. Moskaliov foi então colocado em prisão domiciliar, e sua filha, em uma família de acolhimento e privada de qualquer contato com o pai.

Outro julgamento, que começa em 6 de abril, decidirá o destino da família. Alexei Moskaliov corre o risco de ser definitivamente privado de sua autoridade parental.

Seu advogado declarou nesta terça-feira que Maria Moskaliova foi colocada sob tutela e que poderia ser “enviada para um orfanato dentro de um mês”.

Como sinal da indignação suscitada pelo caso, foi lançada uma petição online, apesar da pressão das autoridades, para exigir a devolução da criança ao pai. Até o chefe do grupo paramilitar russo Wagner, Yevgeny Prigojine, cujos homens lutam na linha de frente na Ucrânia, apoiou Maria e criticou as autoridades locais.

O caso mostra a dimensão que tomou a repressão orquestrada pelo Kremlin paralelamente ao conflito na Ucrânia. Pouco depois do começo da ofensiva, em fevereiro de 2022, a Rússia introduziu uma série de sanções penais para reprimir toda forma de crítica sobre o Exército. Muitas celebridades ou simples cidadãos que se opõem à guerra já foram presos e condenados.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

corredor-de-tornados:-por-que-os-eua-sao-o-pais-com-maior-risco-de-sofrer-esse-tipo-de-tempestade

G1 Mundo

Corredor de tornados: por que os EUA são o país com maior risco de sofrer esse tipo de tempestade

Com estas palavras Stephanie Cox, uma caçadora de tempestades, descreveu o arrasador tornado que na semana passada atingiu o Estado do Mississippi, nos Estados Unidos, causando 26 mortes e grandes danos. "Ainda não consigo superar o que vi", disse Cox à BBC sobre o fenômeno climático que ela chamou de "monstruoso". E a caçadora de tempestades provavelmente já viu muita coisa. Ela mora em Oklahoma, Estado cuja capital, Oklahoma City, […]

today28 de março de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%