G1 Santos

Pai de PM desaparecido pede ajuda da população nas buscas pelo filho: ‘estou morrendo por dentro’

today2 de maio de 2024 3

Fundo
share close

Segundo apurado pelo g1, Luca saiu de uma adega na comunidade Santo Antônio, em Guarujá, e dirigiu sozinho até uma “biqueira” [onde ocorre o tráfico de drogas] no mesmo bairro. Ele ficou dentro do carro por aproximadamente 40 minutos, até que dois homens se aproximaram do veículo e o renderam. Depois, ele não foi mais visto (leia mais abaixo sobre o desaparecimento).

Renzo Borges Angerami, pai do Soldado PM Luca Romano Angerami, publicou um novo vídeo pedindo ajuda nas redes sociais — Foto: Reprodução



“De novo eu vou pedir, cara. Só que agora eu vou pedir para as pessoas de bem. Rezem muito, continuem rezando. Eu ‘tô’ enfraquecendo por dentro, entendeu? São muitos dias. Foi dia 14 [de abril], hoje é dia primeiro [de maio]. Faz 17 dias que estou morrendo por dentro”, disse.

Ele ainda reforçou que a população denuncie à polícia qualquer informação referente ao paradeiro de Luca. “Eu falo que meu filho morreu. E se não morreu? Por favor, empenho. Eu peço qualquer coisinha que seja para nos ajudar. Eu peço auxílio à todos da sociedade”, falou.

Soldado PM Luca (à direita) tem irmão também policial militar e pai investigador de polícia — Foto: Reprodução

Segundo apurado pelo g1, Luca é quadrigêmeo. Ele tem duas irmãs e um irmão, que se chama Luigi Romano Angerami e também é policial militar.

Além disso, é neto de Alberto Angerami, que está aposentado, mas já foi delegado-geral adjunto de São Paulo, corregedor geral da Polícia de São Paulo e presidente do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Polícia encontra seis corpos durante buscas por PM desaparecido em Guarujá, SP

Polícia encontra seis corpos durante buscas por PM desaparecido em Guarujá, SP

Barbeiro explicou que, até a última quinta-feira (25), a equipe contou com um cão farejador especializado em encontrar pessoas vivas. Sem avanços, no entanto, a polícia passou a utilizar os serviços de um animal especializado em achar corpos na sexta-feira (26).

Com ajuda do cão farejado, só foi possível delimitar ainda mais a área de buscas na Vila Baiana, comunidade onde a polícia acredita estar Luca. Segundo Barbeiro, um dos investigados chegou a acompanhar os agentes e mostrar o local que o PM teria ido ainda vivo.

“Nós fizemos buscas em outros locais, também, mas a investigação acabou nos dando a certeza de que a desova do corpo foi lá”, disse o delegado.

Agentes não encontraram corpo dentro de cova na Vila Baiana, na última segunda-feira — Foto: g1 Santos

Até a última atualização da reportagem, a polícia havia localizado sete corpos, que não seriam do policial desaparecido.

Em 16 de abril, as Polícias Civil e Militar receberam denúncias de que Luca havia sido morto e deixado na comunidade Pantanal, em Guarujá. No local, os agentes encontraram um corpo em uma cova rasa e com roupas semelhantes às usadas pelo PM, mas segundo a polícia não era do agente.

Já em 22 de abril, os agentes encontraram duas ossadas humanas na comunidade Vila Baiana. Dois dias depois, por volta de 16h, a PM localizou mais três corpos enterrados na mesma localidade.

Na última segunda-feira (29), um cão farejador especializado em encontrar cadáveres indicou um ponto onde haveria outro possível corpo. As equipes de buscas trabalharam na região, que era de difícil acesso. Apesar do cheiro forte, os agentes cavaram quase dois metros e não localizaram o corpo. A Polícia Civil recolheu material do solo para exames complementares.

Já na terça-feira (30), uma ossada antiga foi achada na Rua Argentina, durante uma ação das polícias Civil e Militar e do canil do Corpo de Bombeiros. Por volta de 13h, os agentes se depararam com a cova onde estavam os restos mortais.

O g1 apurou que a ossada estava há anos enterrada no local e, portanto, não é de Luca. As roupas também são diferentes das que ele usava na última vez em que foi visto, próximo a um ponto de tráfico de drogas de Guarujá (SP), no dia 14 de abril.

Edivaldo Aragão (à esq) e Carlos Vinícius foram presos pelo envolvimento no sequestro do PM Luca em Guarujá (SP) — Foto: Divulgação

Na noite de 14 de abril, mesmo dia do desaparecimento, um homem identificado como Edivaldo Aragão, de 36 anos, foi preso por ser suspeito de participar do suposto assassinato de Luca. Ele foi abordado por policiais militares na Rua das Magnólias, próximo à adega.

Segundo o g1 apurou com a Delegacia de Homicídios de Santos, a Polícia Civil descartou o homem das investigações por entender que ele não teve envolvimento e confessou a mando de uma organização criminosa. Ele apenas foi indiciado por obstrução à Justiça.

Preso confessa envolvimento no sequestro

No dia 18 de abril, Carlos Vinicius Santos da Silva, de 26 anos, foi preso na Avenida das Acácias. Uma equipe da Polícia Militar leu mensagens em um celular que comprovaram a participação dele no crime. É ele quem aparece ao lado do soldado da PM na biqueira da comunidade Santo Antônio, a última imagem que se tem de Luca.

Depois que Carlos Vinicius foi detido, a polícia identificou mais suspeitos envolvidos, com base no depoimento e mensagens. No dia 19 de abril, quatro foram presos. Cada um teria uma responsabilidade: um teria ficado com a arma de Luca; outro seria o dono da biqueira; um suspeito de abandonar o carro, e outro dirigido com o PM até a comunidade.

Um homem conhecido como “Caga”, se apresentou espontaneamente na Divisão de Homicídios de Santos na última segunda-feira (22).

Já um homem, de 23 anos, foi preso por volta de 19h30 de sexta-feira (26) no bairro Chácaras, em Bertioga. A PM chegou ao oitavo suspeito durante as investigações e com base nas informações obtidas em depoimentos anteriores. Conforme apurado com a Delegacia de Homicídios de Santos, o homem provavelmente mentiu ter envolvimento para despistar as autoridades.

Câmeras de adega mostram última imagens de PM antes de desaparecer no litoral de SP

Câmeras de adega mostram última imagens de PM antes de desaparecer no litoral de SP

O PM mora em Santos, mas trabalhava no 3º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) em São Paulo. Ele desapareceu em Guarujá (SP), após ser filmado bebendo com amigos em uma adega (assista acima).

De acordo com a SSP-SP, o carro dele foi encontrado abandonado na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, na mesma cidade, na manhã do dia 14 de abril. A PM informou à equipe de reportagem que a chave do veículo estava em cima do porta-malas.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

biden-condena-violencia-de-estudantes-em-protestos-em-1a-fala-apos-escalada-dos-atos-em-universidades-nos-eua

G1 Mundo

Biden condena violência de estudantes em protestos em 1ª fala após escalada dos atos em universidades nos EUA

"Protestos pacíficos são livres nos Estados Unidos. Protestos violentos, não", declarou Biden. "Destruir propriedades e ameaçar pessoas não é um protesto pacífico. Isso é a contra a lei. Pessoas têm o direito a protestar, mas não a criar caos". Biden vinha sendo cobrado por um posicionamento diante da onda de protestos que, desde meados de abril, tomou conta de grandes universidades dos EUA, com Yale, Harvard e Columbia. Com um […]

today2 de maio de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%