G1 Mundo

Países da África Ocidental podem realizar intervenção militar no Níger caso diplomacia falhe

today19 de agosto de 2023 9

Fundo
share close

O Níger sofreu um golpe de Estado no fim de julho e o governo do presidente Mohamed Bazoum foi substituído por uma junta militar liderada pelo general Abdourahmane Tchiani. O país era uma das últimas democracias da região, e a nova situação preocupa, pois pode abrir espaço para a insurgência de grupos radicais e milícias.

“Estamos prontos para partir a qualquer momento que a ordem for dada”, disse Abdel-Fatau Musah, comissário da Cedeao, após uma reunião dos países do bloco em Acra, a capital de Gana. “O Dia D também está decidido, o que não vamos divulgar.”

A intensão do bloco é restabelecer Bazoum, preso desde que foi deposto, e, assim a democracia nigerina. A Cedeao, no entanto, considera a intervenção como última alternativa e só planeja atuar caso a diplomacia falhe.



“Enquanto falamos, ainda estamos preparando uma missão de mediação no país, então não fechamos nenhuma porta, mas não vamos nos engajar em um diálogo sem fim”, disse Musah.

O novo regime do Níger considera que qualquer intervenção militar contra o país constituiria uma “agressão ilegal e insensata” e prometeu uma “resposta imediata” a qualquer ofensiva.

Nem todos os integrantes da Cedeao concordam com a intervenção militar no Níger. Dos quinze países que integram o bloco, quatro se opõe à ideia: Cabo Verde, Mali, Burkina Faso e Guiné — os últimos três sob regimes militares e ocupados por grupos insurgentes.

Nos últimos três anos, sete golpes de Estado aconteceram em países da África Ocidental, contribuindo para a expansão de grupos ligados à Al Qaeda e ao Estado Islâmico presentes na área. A ascensão da junta militar de Tchiani foi um golpe para a Cedeao e para o Ocidente, que tinham na democracia do Níger uma aliada crucial na luta contra esses insurgentes.

A Cedeao tem tentado resolver a situação do governo nigerino via diplomacia, mas a falta de avanços levou o bloco a tomar uma postura mais dura. “A decisão é que o golpe no Níger é um golpe a mais para a região, e estamos colocando um fim nisso neste momento, estamos traçando uma linha na areia”, afirmou Musah.

Olayinka Ajala, professor de política e relações internacionais na Universidade Metropolitana de Leeds, no Reino Unido, acredita que a intervenção da Cedeao poderia ter efeito contrário ao esperado, considerando que o exército nigerino já atua contra os grupos insurgentes na região.

“Um ataque liderado pelo Cedeao no Níger iria distrair os soldados e desviar recursos críticos”, escreveu o especialista em texto publicado no “The Conversation”.

Ainda de acordo com Ajala, uma intervenção poderia fazer com que exércitos que hoje atuam juntos contra os insurgentes passem a lutar entre si. “Grupos terroristas poderiam então tirar proveito de fronteiras enfraquecidas pelo conflito”, disse.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

morre-orca-emblematica-do-aquario-de-miami

G1 Mundo

Morre orca emblemática do aquário de Miami

A orca Lolita, que passou cinco décadas no Miami Seaquarium e deu origem a uma longa batalha de ativistas pela sua libertação, morreu nesta sexta-feira (18), anunciou o aquário da cidade da Flórida nas redes sociais. O cetáceo não passava bem havia dois dias e estava sendo tratado por uma equipe do aquário. "Apesar de ter recebido o melhor atendimento médico possível, ela morreu na tarde de hoje, do que […]

today19 de agosto de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%