G1 Mundo

Parlamento britânico aprova lei de deportação de imigrantes ilegais para Ruanda; voos começam em breve, diz primeiro-ministro

today23 de abril de 2024 2

Fundo
share close

A expectativa é que ainda nesta semana o rei Charles III dê o consentimento real e o projeto vire lei. O texto tramitou entre a Câmara dos Comuns e a Câmara dos Lordes britânica e foi aprovado nos primeiros minutos desta terça-feira.

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, afirmou que o plano é começar a enviar pessoas para Ruanda daqui a 10 ou 12 semanas. Sunak disse que o governo já fretou aviões comerciais e treinou cerca de 500 trabalhadores do setor de aviação para levar os imigrantes para Ruanda.

O pedido de asilo vai ser julgado pelo governo ruandês, e se for aceito, as pessoas vão receber a condição de refugiadas em Ruanda, e não no Reino Unido.



Para receber esses imigrantes, Ruanda vai receber do governo britânico um total de 370 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 2,3 bilhões) em um período de cinco anos.

Imigrantes que chegaram ilegalmente

Para o governo, um dos efeitos das deportações para Ruanda será diminuir o fluxo de pessoas que entram no Reino Unido de forma ilegal.

A agência de notícias Associated Press fez uma comparação com os números de pequenos barcos que chegaram ao litoral do Reino Unido em três momentos.

  • Em 2018, foram 299.
  • Quatro anos depois, em 2022, foram 45.774.
  • No ano passado, o número de barcos foi de 29.437.

Segundo a AP, há grupos criminosos especializados em levar pessoas até o litoral do Reino Unido em pequenos barcos, partindo da Europa continental.

As pessoas que discordam do projeto afirmam que a ideia de deportar pessoas a um país com o qual elas não têm nenhuma relação e para onde não queriam ir é desumano.

Lucy Gregg, diretora do grupo Liberdade contra a Tortura, pediu para que o governo “comece a tratar os refugiados de forma decente e pare de tentar enviá-los para longe em um futuro incerto em Ruanda”.

Os críticos também dizem que Ruanda não tem um histórico de respeito aos direitos humanos e que os imigrantes podem acabar sendo enviados aos seus países de origem, de onde fugiram e onde correm riscos.

A nova lei estabelece que algumas regras de proteção aos direitos humanos no Reino Unido não se aplicarão ao esquema.

Em junho do ano passado, a Justiça do país decidiu que a medida era ilegal. Para não contrariar essa decisão, o texto aprovado pelo Parlamento nesta terça-feira determina que os juízes britânicos precisam considerar que Ruanda é um destino seguro para os imigrantes antes que eles sejam colocados nos aviões.

Segundo o “New York Times”, mesmo com a aprovação da lei deve haver judicialização dessas tentativas de deportação. De acordo com o jornal, é possível que o governo consiga enviar alguns aviões com imigrantes para Ruanda antes das eleições gerais do país, que devem acontecer no segundo semestre, mas o custo dessas operações serão muito altos.

Rishi Sunak falando sobre questão dos imigrantes ilegais — Foto: JN




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ossada-humana-e-encontrada-durante-buscas-por-pm-sequestrado-no-litoral-de-sp

G1 Santos

Ossada humana é encontrada durante buscas por PM sequestrado no litoral de SP

A ossada foi encontrada na segunda-feira (22), na Vila Baiana. A comunidade fica a aproximadamente 5 km de distância do local em que o PM foi visto pela última vez. Conforme apurado pelo g1, perto dos restos mortais foram encontradas uma camiseta preta e um projétil de fuzil deflagrado. Por mais que a roupa seja semelhante da que era usada pelo soldado da PM no dia do sequestro, uma fonte […]

today23 de abril de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%