G1 Mundo

Parlamento de Israel aprova reforma que esvazia poderes do Judiciário

today25 de julho de 2023 8

share close

O dia foi de bate-boca no Parlamento israelense. Era uma das decisões mais importantes da história recente do país. Quando ainda era um projeto de lei, a reforma aprovada nesta segunda (24) desencadeou alguns dos maiores protestos que Israel já viu.

Já são quase sete meses de manifestações. Opositores vêm afirmando que a reforma coloca a democracia do país em perigo. Apesar de toda a pressão, os parlamentares aprovaram as medidas por 64 votos a 0. É que, revoltada com o Parlamento mais conservador da história de Israel, a oposição boicotou a votação final.

Com as mudanças – que são só a primeira parte da reforma do Judiciário – vai ser mais difícil para os juízes anularem decisões do governo.



O governo conservador israelense, que propôs as mudanças, defende que a reforma vai dar aos políticos, escolhidos pelo povo, uma maior autonomia em relação aos juízes da Suprema Corte – que são indicados, não eleitos. É um argumento que vem sendo usado pela extrema-direita nos últimos anos.

Já a oposição fala que a reforma vai abrir caminho para o autoritarismo, para o extremismo político, religioso, e prejudicando, por exemplo, a defesa dos direitos humanos.

Os opositores afirmam que o que governo e a extrema-direita querem é um sinal verde para ter mais liberdade, por exemplo, para continuarem ocupando territórios palestinos. E, assim, tornar Israel, aos poucos, um Estado religioso.

Já são quase sete meses de manifestações em Israel. Opositores vêm afirmando que a reforma coloca a democracia do país em perigo. — Foto: Reprodução/ Jornal Nacional

Em decisões recentes, a Suprema Corte impediu a construção de assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada – contrariando os interesses da base conservadora mais radical.

A oposição também alerta que, cercear poderes da Suprema Corte é uma maneira do primeiro ministro, Benjamin Netanyahu, escapar de processos por corrupção.

O primeiro ministro acompanhou a votação nesta segunda (24) – uma vitória significativa para ele. Netanyahu foi ao Parlamento menos de 24 horas depois de receber alta do hospital. Ele fez um procedimento cardíaco de emergência. Netanyahu diz que vai tentar um acordo com a oposição até novembro de 2023.

Manifestantes tomaram as ruas de Jerusalém para protestar contra o que consideram um retrocesso brutal. A polícia usou jatos d’água, houve empurra-empurra. Até setores das Forças Armadas são contrários à reforma do Judiciário.

Dezenas de empresas e bancos israelenses se posicionaram contra o governo e convocaram uma greve.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

Urso pardo mata mulher que fazia trilha na natureza nos EUA

O corpo de uma mulher foi encontrado perto do Parque de Yellowstone, nos Estados Unidos. Imagem de um urso pardo — Foto: Divulgação/Bioparque Um urso pardo matou uma mulher que fazia uma trilha em uma região de floresta perto do Parque de Yellowstone, nos Estados Unidos, no sábado (24), de acordo com um comunicado do órgão responsável pelos parques naturais americanos. As pegadas do urso estavam ao redor do corpo da mulher, cuja identidade não foi revelada. Isso ocorreu a […]

today25 de julho de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%