G1 Santos

Polícia prende homem que matou esposa e forjou o suicídio dela em SP

today7 de junho de 2023 11

Fundo
share close

Um homem de 40 anos que matou a esposa, de 39, por estrangulamento e forjou o suicídio dela, em abril do ano passado, no apartamento em que moravam na Vila Mathias, em Santos, no litoral de São Paulo, foi preso pela equipe policial comandada pelo delegado Marcelo Gonçalves, que afirmou ao g1 nesta quarta (7) que o cenário do crime foi desconfigurado e montado para que parecesse que a mulher tivesse se matado.

De acordo com Gonçalves, o caso foi desvendado a partir das provas colhidas na cena do crime e mediante análise dos autos dos institutos de Criminalística (IC) e Médico Legal (IML). O homem foi detido na terça-feira (6).

O esposo dela alegava que teria encontrado a vítima com um pano e um laço na parte da nuca, de bruços e que ela teria se suicidado. O problema é que com a vinda dos laudos fica demonstrado que essa vítima sofreu várias lesões”.



O delegado explicou que os laudos apontaram que as marcas no corpo da vítima foram feitas em 16 de abril [data em que foi encontrada morta] e nos dias 15 e 6 daquele mesmo mês. Diante desse quadro, a Polícia Civil viu que a versão que o marido apresentava não encaixava. Além disso, o laudo do IML apontou que a vítima estava sob efeito de álcool e zolpidem [remédio que induz o sono].

“É uma substância que deixa a pessoa atordoada, inclusive durante o interrogatório perguntei se ele presenciou a esposa sob o efeito. Ele falou que viu, que ela ficava ‘grogue’. Eu perguntei como a pessoa consegue causar aquele tanto de lesão e ainda cometer o suicídio sem força e ele não teve resposta”, disse Gonçalves.

Com a análise das provas, os policiais do 2° Distrito Policial de Santos concluíram que houve feminicídio e descartaram cientificamente a possibilidade de suicídio. “O pano possuía manchas de sangue, a vítima possuía um ferimento perfurante e foi notado nos laudos a presença de sangue na parede que subentende-se que foi esguicho”.

Segundo o delegado, o perito que atendeu a ocorrência disse não ter encontrado nenhum objeto que fosse compatível com as lesões apresentadas pela vítima. “No nosso entendimento o pano não foi utilizado, foi usado outro instrumento para o estrangulamento“.

A delegada titular do 2° DP, Déborah Lázaro, enfatizou ao g1 que a investigação foi longa e trata-se de um caso diferenciado. “Precisou ser investigado com afinco. Preliminarmente, [foi tratado como] um suicídio e agora descobriu-se um feminicídio através de confronto de depoimentos, declarações, os próprios laudos foram analisados com mais rigor e descobriu-se discrepâncias, principalmente nas lesões suportadas pela vítima”.

“Sabíamos que essa moça, dentro dos autos [como] foi citado, sofria de depressão e tomava medicamentos controlados. Falou-se também das quedas que ela sofria dentro de casa só que o inquérito policial teve um novo olhar, uma investigação mais apurada. […] representamos pela prisão temporária [do marido] que foi cumprida”, disse a delegada.

Crime ocorreu em abril do ano passado no prédio onde o casal morava na Avenida Ana Costa, no bairro Vila Mathias, em Santos, SP — Foto: Brenda Bento/g1

Camila Indame Ramos, de 39 anos, foi dada como morta por suicídio na tarde de 16 de abril do ano passado. A morte foi constatada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que foi acionado ao apartamento onde ela morava com o marido, de 40, na Avenida Ana Costa, na Vila Mathias, em Santos.

Segundo o Boletim de Ocorrência (BO) registrado na época como morte suspeita, a vítima estava na sala do apartamento com um pano enrolado no pescoço.

O marido informou à polícia que havia saído para trabalhar, passou a conversar com a esposa por aplicativo de mensagem, mas, em decorrência do trabalho, não conseguiu visualizar o celular e no término do expediente percebeu que a esposa não havia enviado mensagem.

De acordo com ele, ao chegar em casa, deparou-se com o corpo da vítima caído de bruços sobre o chão com um pano enrolado no pescoço e, imediatamente, empreendeu esforços para retirar o pano e tentou realizar manobras cardíacas, que não tiveram sucesso. Ele informou na ocasião que a mulher apresentava um quadro depressivo e fazia uso do medicamento zolpidem.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

bandidos-se-‘exibiram’-com-armas-a-poucos-metros-de-creche-para-criancas-de-ate-tres-anos;-video

G1 Santos

Bandidos se ‘exibiram’ com armas a poucos metros de creche para crianças de até três anos; VÍDEO

O conteúdo em questão mostra um grupo de nove homens 'marchando' pela Rua Argentina, na Vila Baiana, em direção à câmera. O Núcleo de Educação Infantil Municipal (Neim) Agripina Alves de Barros fica quase na esquina da Rua Mario Malheiro e, segundo a prefeitura, foi inaugurado há 53 anos. A instituição, ainda de acordo com o município, atende crianças até 3 anos, 11 meses e 29 dias. Nas imagens, é […]

today7 de junho de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%