G1 Mundo

Primeiro-ministro da Espanha visita Kiev para conversas com Zelensky

today23 de fevereiro de 2023 8

Fundo
share close

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, foi à Ucrânia para se encontrar com o presidente Volodymyr Zelenskiy na véspera do aniversário de um ano da invasão da Rússia, informou o gabinete de Sanchez nesta quinta-feira (23).

Sanchez prestou homenagem com flores aos mortos na guerra em Bucha e se reuniu com os prefeitos das duas cidades, Anatolii Fedoruk e Oleksandr Markushyn.

Os subúrbios de Bucha e Irpin, em Kiev, tornaram-se símbolos de algumas das piores atrocidades de guerra depois que valas comuns foram descobertas após a retirada das forças russas da área.



Primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, presta homenagem aos mortos em Bucha e Irpin, na Ucrânia — Foto: Governo da Espanha/Reprodução/via REUTERS

Em sua chegada a Kiev, Sánchez foi recebido pelo vice-ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, pelo embaixador ucraniano em Madri e pelo embaixador espanhol na Ucrânia.

O presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, caminham ao lado da catedral de São Miguel, em meio ao ataque da Rússia à Ucrânia, em Kiev, Ucrânia, em 20 de fevereiro de 2023 — Foto: REUTERS/Gleb Garanich

A visita de Sanchez ocorre depois que o presidente dos EUA, Joe Biden, prometeu uma nova ajuda militar para a Ucrânia no valor de US$ 500 milhões durante uma visita surpresa a Kiev na segunda-feira.

No dia seguinte, a premiê italiana, Georgia Meloni, também visitou a capital para falar com Zelensky, a quem ela prometeu continuar apoiando na resistência aos ataques russos, mas descartou a oferta de caças.

Já nesta quarta-feira, a ministra da Defesa da Espanha, Margarita Robles, disse aos legisladores da Câmara dos Deputados que Madri forneceria seis tanques de batalha 2A4 Leopard de fabricação alemã para a Ucrânia depois que eles passassem por reparos, com a entrega prevista para o final de março ou início de abril.

O conselho da ONU vota nesta quinta-feira uma resolução pela paz na Ucrânia. Os 193 países membros devem apresentar seus posicionamentos a fim de chegar a um caminho rápido e eficaz para a paz no conflito.

“Veremos como as nações do mundo se posicionam sobre a questão da paz na Ucrânia”, disse a embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, à Assembleia Geral.

O projeto de resolução da ONU, que não é vinculativo, mas tem peso político, reflete uma exigência da Assembleia Geral feita no ano passado para que Moscou retire as tropas e suspenda as hostilidades. A Rússia descreveu o texto como “desequilibrado e anti-russo” e pediu aos países que votem não.

A Ucrânia argumenta que a guerra é um simples caso de um país não provocado invadindo ilegalmente outro.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

estudantes-cristaos-relatam-aumento-da-intolerancia-em-universidades

Gospel Prime

Estudantes cristãos relatam aumento da intolerância em universidades

A intolerância religiosa é uma realidade em muitas universidades do Brasil, públicas e privadas. Nessas instituições, ideias progressistas ou conservadoras podem gerar preconceitos contra a fé dos cristãos, apesar de as universidades se afirmarem como locais de discussões e opiniões diversas. Algumas organizações cristãs atuam dentro das universidades, reunindo-se durante os intervalos ou antes e depois das aulas. Pedro Mantovan, líder da organização Rede Universitária, que une os grupos cristãos […]

today23 de fevereiro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%