G1 Mundo

Promotores russos pedem que tribunal reconheça crimes nazistas da 2ª Guerra Mundial em Moscou como genocídio

today25 de maio de 2023 9

Fundo
share close

Promotores russos pediram a um tribunal que reconheça os crimes cometidos pela Alemanha nazista na região de Moscou durante a Segunda Guerra Mundial como genocídio, dizendo que acreditam que cerca de 6,4 trilhões de rublos (R$ 414 bilhões) em danos foram causados, disseram eles nesta quinta-feira (25).

Não ficou claro se a medida foi um prelúdio para uma nova reivindicação de compensação financeira por parte da Rússia para a Alemanha moderna, com a qual as relações têm se deteriorado devido à guerra de Moscou na Ucrânia.

Mas a declaração, que cita a necessidade de defender os interesses nacionais da Rússia enquanto se restaura a justiça histórica, pareceu parte de um esforço mais amplo da Rússia para preparar seus cidadãos para o que diz ser uma guerra existencial contra o Ocidente, que algumas autoridades russas compararam à guerra travada pela União Soviética contra os nazistas.



Cidade da Rússia foi palco da batalha mais sangrenta da Segunda Guerra Mundial

Cidade da Rússia foi palco da batalha mais sangrenta da Segunda Guerra Mundial

Os promotores pediram a um tribunal regional de Moscou “que reconheça como crimes de guerra e crimes contra a humanidade, e como genocídio contra o povo soviético, os crimes estabelecidos e recentemente revelados cometidos pelos invasores fascistas alemães” na região de Moscou entre outubro de 1941 e janeiro de 1942.

Mais de 26 mil pessoas foram mortas na região durante esse período, disseram em um comunicado, com cidadãos soviéticos submetidos a tortura, roubo, trabalhos forçados e expulsões. Não ficou claro quando o tribunal decidirá sobre o pedido.

27 milhões de russos mortos na Segunda Guerra

Cerca de 27 milhões de soviéticos perderam a vida no que os russos chamam de Grande Guerra Patriótica, cuja memória é considerada sagrada por muitos russos.

Oito décadas depois, foi a Rússia que invadiu a Ucrânia no que chamou de “operação militar especial”, retratada pelo presidente russo, Vladimir Putin, como um movimento necessário para “desnazificar” a Ucrânia e impedir o “genocídio” contra falantes de russo na região leste de Donbas.

Putin muitas vezes evoca façanhas da história militar da Rússia, seja na guerra contra Hitler ou aquelas travadas por governantes anteriores como Pedro, o Grande, para explorar o sentimento de orgulho nacional dos russos.

A Ucrânia, então parte da União Soviética, estima que perdeu pelo menos 8 milhões de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ativistas-roubam-cordeiros-de-propriedade-do-rei-charles-iii

G1 Mundo

Ativistas roubam cordeiros de propriedade do rei Charles III

O grupo publicou imagens no Twitter que mostram três mulheres roubando três cordeiros de um campo para dar a eles "uma vida em liberdade", como afirma uma delas, que diz estar na propriedade de Sandringham. "Caso contrário, teriam sido levados em breve para o matadouro, e as pessoas os teriam comido", afirmou a ativista. Em um comunicado, a Animal Rising afirmou que esta operação de resgate ocorreu na noite de […]

today25 de maio de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%