G1 Mundo

Proposta militar de Israel para o futuro de Gaza colide com a de ministros radicais de Netanyahu

today5 de janeiro de 2024 2

Fundo
share close

Este ponto da proposta de Yoav Gallant colide frontalmente com os anseios dos ministros ultrarradicais que integram o Gabinete de Benjamin Netanyahu e defendem a expulsão dos palestinos e o estabelecimento e o regresso de assentamentos judaicos no território.

Embora sem especificar quem governará o território no dia seguinte ao fim da guerra com o Hamas, o ministro da Defesa foi categórico: Israel não será responsável pela vida civil na Faixa de Gaza.

Não causou surpresa, portanto, que a reunião de Gabinete para debater o tema, na noite de quinta-feira, terminasse com um bate-boca furioso entre os ministros da coligação de extrema direita que sustentam o premiê e os chefes militares.



O ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben-Gvir, e o das Finanças, Bezalel Smotrich, vêm expressando abertamente os termos “emigração de palestinos” e “reassentamento voluntário de colonos” em seus planos para o futuro da Faixa de Gaza.

“Israel não pode continuar a ser vizinho de um foco de ódio e terrorismo, onde dois milhões de pessoas acordam todas as manhãs com aspirações à sua destruição e com desejo de massacrar, estuprar e assassinar judeus onde quer que estejam”, justificou Smotrich.

A retórica alardeada pelos parceiros fundamentalistas de Netanyahu é definida como inflamatória e irresponsável pelo governo americano e rechaçada também por altos representantes da ONU e da União Europeia.

Israel se retirou unilateralmente do território em agosto de 2005; este status quo deverá ser preservado, segundo a comunidade internacional.

A guerra iniciada por Israel em Gaza após o massacre do Hamas em 7 de outubro já deixou mais de 22 mil mortos, de acordo com estimativas do grupo terrorista. Calcula-se que 90% dos habitantes deixaram suas casas.

O ministro Gallant não informou se a população deslocada para o Sul do território será autorizada a regressar. O governo tem condicionado este retorno a um acordo para a libertação de 130 reféns ainda em poder do Hamas.

O plano delineado pelo ministro da Defesa para o pós-guerra prevê um mecanismo multipolar para Gaza com quatro elementos: Israel, Egito, uma força multinacional e um aparelho administrativo palestino integrado, segundo Gallant, por comitês locais que não sejam hostis a Israel.

O ministro não esclareceu se a Autoridade Nacional Palestina seria envolvida, mas deixou claro que o Hamas não estará mais no controle do território.

A proposta requer a aprovação do governo israelense, e justamente aí reside o seu maior obstáculo. Como assinalou o colunista Yossi Verter, do jornal “Haaretz”, é como se Netanyahu não tivesse pressa em tomar uma decisão e estimulasse brigas internas na coligação. “O mais natural para ele é fazer o que sempre faz e procrastinar.”

A lógica parece simples e um tanto quanto primária. Quanto mais prorrogar a guerra e quanto mais adiar uma decisão sobre o futuro de Gaza, mais chances o premiê tem de se perpetuar no cargo.

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu disse que Israel terá ‘responsabilidade geral pela segurança’ da Faixa de Gaza ‘por período indefinido’ — Foto: REUTERS




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ciclista-e-espancado-e-ameacado-de-morte-apos-esbarrar-guidao-em-mulher-no-litoral-de-sp

G1 Santos

Ciclista é espancado e ameaçado de morte após esbarrar guidão em mulher no litoral de SP

Um churrasqueiro, de 48 anos, foi brutalmente agredido na avenida da praia em Mongaguá, no litoral de São Paulo. Alfredo Laganaro contou ao g1, nesta sexta-feira (5), que estava de bicicleta a caminho do trabalho quando esbarrou o guidão em uma mulher. Três homens, que estavam com ela, deram chutes, socos e até o ameaçaram de morte. "O meu rosto ficou deformado [...]. Na hora, eu me senti aqueles caras […]

today5 de janeiro de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%