G1 Mundo

Protestos contra o governo do Peru terminam em confronto entre manifestantes e polícia

today5 de fevereiro de 2023 10

Fundo
share close

A mobilização contou com a participação de sindicatos de agricultores, organizações civis e grêmios estudantis das regiões andinas do sul de Cusco e Puno, entre as mais negligenciadas do Peru, e também de Lima.

“Eles não vão nos tirar dessa luta”, disse Adela Paz, uma mulher de 68 anos de Cusco, que pediu “a mudança do Peru em favor do povo que trabalha”, disse. A manifestante participava de um ritual ao lado da multidão na Praça Dois de Maio, que queimava a madeira sagrada Palo Santo e folhas de coca. Ao aroma resultante se atribuem propriedades purificantes.

Ao cair da noite, a polícia dispersou com gás lacrimogêneo os manifestantes que avançavam em direção à sede do Congresso peruano e às proximidades do Palácio do Governo.



Os manifestantes enfrentaram as forças de segurança lançando fogos de artifício, e se protegeram com capacetes e escudos improvisados.

Entre as reivindicações, figuram temas indígenas e as condições das populações que, apesar de habitarem regiões ricas em gás, agricultura e mineração, vivem na pobreza com o mínimo de direitos sociais, principalmente relacionados à educação e saúde.

Manifestantes entram em confronto com a polícia nas ruas de Lima. — Foto: REUTERS/Alessandro Cinque

Grandes grupos dos bairros mais pobres do norte de Lima chegaram cantando “sim, nós podemos”, agitando bandeiras peruanas e a wiphala, a colorida bandeira quadrangular representativa das etnias andinas, constataram os repórteres da AFP.

Outra mobilização simultânea ocorreu nas ruas do centro de Lima, com cerca de 50 pessoas que se identificaram como a “Legião Patriótica” e afirmaram defender a polícia peruana ” em suas operações contra terroristas subversivos”.

O novo protesto foi realizado um dia depois que o Congresso bloqueou até agosto qualquer debate para antecipar as eleições gerais.

Com essa decisão, baseada em procedimentos técnicos, o Congresso enterrou a possibilidade de renovação da Presidência e do Congresso em 2023, como pedem os manifestantes desde dezembro em protestos que deixaram dezenas de mortos.

Até sábado (4), Boluarte não havia reagido à decisão do Congresso.

A presidente substituiu o ex-presidente de esquerda Pedro Castillo, que foi deposto e preso em 7 de dezembro após uma tentativa fracassada de dissolver o Congresso e governar por decreto.

A intenção inicial de Boluarte era completar o mandato de Castillo até 2026, mas antes da eclosão das mobilizações, ela pediu ao Congresso que antecipasse as eleições.

VÍDEOS: os mais recentes do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

incendios-florestais-no-chile-deixam-24-mortos-e-quase-mil-feridos

G1 Mundo

Incêndios florestais no Chile deixam 24 mortos e quase mil feridos

Incêndios florestais no sul do Chile mataram pelo menos 24 pessoas, feriram mais de 970 e destruíram cerca de 270 mil hectares, informaram autoridades neste domingo, em um momento em que ajuda internacional começava a chegar ao país. No fim de semana, o governo do presidente chileno, Gabriel Boric, estendeu o "Estado de Catástrofe" para La Araucanía, juntando-se a Ñuble e Biobío, as três regiões mais afetadas pelo incêndio, caracterizadas […]

today5 de fevereiro de 2023 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%