G1 Mundo

Qual o destino dos combatentes do Grupo Wagner em Belarus?

today26 de agosto de 2023 12

Fundo
share close

Embora Dmitry Peskov, porta-voz do governo russo, tenha refutado nesta sexta-feira (25/08) qualquer especulação sobre uma ordem do Kremlin, poucos acreditam que a queda do avião que matou 10 pessoas tenha sido um mero acidente. Tão misterioso quanto as circunstâncias é o destino dos soldados mercenários, incluindo os que estão em Belarus.

Para Minsk, aliado próximo de Moscou, a questão agora é o que fazer com os combatentes exilados no país após o motim fracassado contra a liderança do exército russo no final de junho.

Cerca de 4 mil a 5 mil soldados armados, notórios pelo estilo brutal de fazer guerra, foram enviados a Belarus com status de “instrutores”. A questão sobre o que ocorrerá com eles não é unanimidade entre especialistas.



Líder do grupo Wagner morre em acidente de avião na Rússia: conheça outras mortes suspeitas de opositores de Putin

Líder do grupo Wagner morre em acidente de avião na Rússia: conheça outras mortes suspeitas de opositores de Putin

Uma pequena parte poderia ficar em Belarus

Para o historiador na área de Europa Oriental da Universidade de Düsseldorf, Alexander Friedman, a trajetória do exército privado de Prigozhin chegou ao fim.

“No entanto, os combatentes do Wagner devem permanecer na África ou em Belarus“, destacou. Para ele, o grupo continua “talvez com o mesmo nome. Mas se reportará ao Ministério da Defesa russo”.

“O governante de Belarus, Alexander Lukashenko, poderia manter alguns dos combatentes e integrá-los às suas estruturas de poder”, diz Friedman.

“Ele teria dinheiro suficiente para até 3 mil combatentes, mas Moscou tem a palavra final.”

Uma retirada completa das tropas do Wagner de Belarus não é do interesse da Rússia. Isso levaria a uma desescalada nas fronteiras com a Polônia e a Lituânia, onde os mercenários Wagner estão estacionados e são vistos como uma ameaça nos países vizinhos membros da União Europeia (UE). Friedman acredita que grande parte das tropas do Wagner será enviada para a Rússia ou para a África.

Aleksander Klaskovsky, analista do projeto de mídia independente belarrusso Posirk, vê a situação de forma diferente. Para ele, Lukashenko não tem interesse que os membros do Wagner permaneçam em Belarus.

Os mercenários não têm liderança, e o destino do grupo como uma forte unidade de combate com ambições políticas está em aberto. Tanto o presidente da Rússia, Vladimir Putin, quanto Lukashenko estão interessados ​​no enfraquecimento do Grupo Wagner.

Também porque a UE e a Otan poderiam fechar a fronteira com Belarus. O fato de as relações com os países europeus vizinhos terem deteriorado dramaticamente é “desfavorável” para Lukashenko, segundo Klaskovsky. O governante belarrusso tentará, portanto, livrar-se do Wagner.

“Nada de bom espera pelo Wagner”, prevê Valeriy Sakhashchik, partidário da exilada política da oposição belarussa e ex-candidata presidencial Svetlana Tikhanovskaya.

Ele também acredita que alguns dos mercenários poderiam permanecer em Belarus, “porque a Rússia tem interesse em provocações na fronteira da UE e em atos de sabotagem na Ucrânia”. No entanto, a questão financeira seria provavelmente a mais importante.

O “exílio” para Belarus foi apenas uma solução temporária para “o problema Wagner da liderança russa”, segundo Grigory Nizhnikov, do Instituto Finlandês de Relações Internacionais.

“Não existe um objetivo tático nem estratégico para mantê-los em Belarus“, destaca.

“Lukashenko não tem como liderar as tropas no lugar de Prigozhin e não está se esforçando para fazê-lo”, disse Nizhnikov. Seu prognóstico: a equipe Wagner deixará Belarus até o final do ano.

Aleksander Klaskovsky também está convencido disso: “Essas pessoas já se opuseram a Putin antes. Ele não confia nelas”. Portanto, quase certamente estariam divididos: “alguns regressam à vida civil, outros vão para África”, afirma.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

acusado-de-envolvimento-no-assassinato-de-pm,-morto-a-tiros-e-martelada,-e-preso-em-santos

G1 Santos

Acusado de envolvimento no assassinato de PM, morto a tiros e martelada, é preso em Santos

Os mandados de busca e apreensão domiciliar e prisão temporária foram cumpridos em operação conjunta realizada entre a Corregedoria da PM, por meio do Serviço de Combate à Vitimização Policial (PM Vítima), e a 3ª Delegacia de Homicídios do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Santos. Gibson dos Santos Amparo, de 43 anos, é apontado como responsável pelo tráfico de drogas no bairro Caruara. Ao notar a presença policial, […]

today26 de agosto de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%