G1 Mundo

Quem é a modelo argentina de 60 anos que venceu concurso de beleza e pode virar candidata ao Miss Universo

today26 de abril de 2024 3

Fundo
share close

Com a vitória na etapa regional, Alejandra se classificou para o Miss Argentina, que vai acontecer dia 25 de maio, em Buenos Aires. Caso vença as demais 27 finalistas da etapa nacional, a modelo vai para o Miss Universo. Conheça mais sobre Alejandra Rodríguez abaixo.

Quem é Alejandra Rodríguez

Alejandra Rodríguez tem 60 anos e vai disputar o Miss Argentina — Foto: Marcos Gomez/AFP



Advogada, jornalista e agora modelo, Alejandra Rodríguez vive e trabalha na cidade de La Plata, na grande Buenos Aires, e foi estreante na competição regional aos 60 anos. Esta foi a primeira vez que o concurso, criado em 1958, ocorreu sem ter limite de idade –até ano passado, apenas mulheres de 18 a 28 anos podiam participar.

“Eu nunca havia me inscrito. Agora surgiu essa oportunidade e me pareceu um desafio, uma proposta muito interessante. Foi uma decisão bastante pensada, mas, graças à diretora do Miss Universo Buenos Aires, decidi me inscrever aos 60 anos”, contou Alejandra em entrevista ao canal TN na terça-feira (24).

Alejandra contou à equipe do Miss Universo Buenos Aires que ela gosta da natureza, sol, tranquilidade, sentar-se diante do mar e ouvir o som das ondas, meditar e dos animais.

Ela não é casada atualmente e não namora, segundo depoimento ao canal TN. Não se tem mais informações sobre relacionamentos antigos dela ou se ela tem filhos ou netos.

A modelo ainda disse que entre seus hobbies estão caminhar, praticar atividade física, cozinhar, poesia, sair com os amigos, viajar e conhecer novas paisagens, pessoas e culturas.

Advogada, jornalista e modelo Alejandra Rodríguez tem 60 anos e vai disputar o Miss Argentina. — Foto: Reprodução/redes sociais

Segundo o jornal “La Nación”, o segredo de Alejandra para evitar o envelhecimento é consumir alimentos saudáveis, de preferência orgânicos.

“A beleza não é apenas o físico, e sim tem a ver com a atitude perante a vida, que vai além da estética. Por isso, acho que o concurso veio para quebrar esses estereótipos, e é isso que está lhe dando tanta visibilidade”, diz Alejandra ao canal TN.

Antes de decidir participar do concurso de beleza, Alejandra era gente como a gente. Postava selfies, fotos de paisagens e de gatos em suas redes sociais e atuava como advogada de hospital e autônoma.

Em sua conta de Linkedin, Alejandra detalha que é formada pela Universidade Nacional de La Plata em Jornalismo e Direito em 2000 e atualmente trabalha como advogada de um hospital ligado ao Ministério da Saúde da província de Buenos Aires, além de também atuar como advogada liberal nos âmbitos do direito da família e civil. Ela ainda diz que se interessa pelo jornalismo de turismo e tem disponibilidade para viajar.

Em sua conta no Instagram, que acumula quase 29 mil seguidores, Alejandra compartilha fotos de viagens que fez para diversos locais do mundo, como praias na Bahia e no Rio de Janeiro.

O concurso Miss Universo, criticado por muito tempo por promover ideias ultrapassadas e estereotipadas de feminilidade, é realizado desde 1952.

Aos 60 anos, Alejandra Rodríguez sonha em disputar o Miss Universo — Foto: Marcos Gomez/AFP

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

justica-do-uruguai-impoe-restricoes-a-professor-que-disse-que-‘negros-brasileiros-de-origem-africana’-sao-preguicosos,-diz-jornal

G1 Mundo

Justiça do Uruguai impõe restrições a professor que disse que ‘negros brasileiros de origem africana’ são preguiçosos, diz jornal

A Justiça do Uruguai impôs restrições a um professor por falas racistas, xenofóbicas e discriminatórias contra negros brasileiros em sala de aula. A decisão foi divulgada na quarta-feira (24), segundo a imprensa local. A denúncia foi feita por alunos do terceiro ano do Polo Educacional Tecnológico da cidade de Rivera. De acordo com o jornal “El Observador”, o professor disse: “Na minha família não contratamos negros porque não são trabalhadores, […]

today26 de abril de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%