G1 Mundo

Soldados mulheres israelenses poderão ser banidas da segurança prisional depois de terem relações sexuais com um interno palestino

today30 de setembro de 2023 3

Fundo
share close

Uma soldado admitiu ter feito sexo com o interno, e disse que outras quatro fizeram o mesmo.


Uma soldado israelense deverá ser banida do serviço de segurança prisional do país depois de ter revelado que teve relações sexuais com um preso palestino, segundo a imprensa local. Os nomes da funcionária e do interno, e também do presídio em questão, não foram revelados.



De acordo com as informações preliminares, a soldado foi detida pela Justiça local, que está analisando o caso. E em depoimento, ela revelou que outras quatro funcionárias da segurança prisional também tiveram relações sexuais com o mesmo interno palestino. Ele, por sua vez, foi transferido para uma área isolada antes de ser ouvido.

O serviço prisional do país anunciou na sexta-feira (29) que soldados mulheres não poderão mais servir em presídios que guardam internos palestinos. E prometeu que até 2025, nenhuma mulher trabalhará mais nestas unidades prisionais.

A presença de soldados mulheres em prisões de Israel já gerava controvérsias anteriormente. No passado, a justificativa para a não-retirada delas do serviço prisional foi a falta de funcionários homens para preencherem as vagas nos presídios.

O serviço militar é compulsório para o país. As mulheres servem por dois anos, e os homens, por 32 meses.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

http://g1.globo.com/

http://g1.globo.com/




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

mais-de-100-mil-ja-deixaram-a-regiao-de-nagorno-karabakh,-diz-agencia-da-onu

G1 Mundo

Mais de 100 mil já deixaram a região de Nagorno-Karabakh, diz agência da ONU

Isso representa mais de 80% da população total estimada em 120 mil habitantes. A região de Nagorno-Karabakh, que fica no Cáucaso, é internacionalmente reconhecida como parte do Azerbaijão. No entanto os moradores, em maioria, são de etnia armênia (ou seja, do país vizinho), e, em 1994, com um movimento separatista apoiado pela Armênia, instituíram um governo autônomo no local. Nagorno-Karabakh — Foto: g1 Entenda a crise na região de Nagorno-Karabakh […]

today30 de setembro de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%