G1 Mundo

Suíça convida Brasil para reunião pela paz na Ucrânia; governo Lula só participa se Rússia comparecer

today30 de abril de 2024 9

Fundo
share close

A conferência acontecerá entre os dias 15 e 16 de junho, nos arredores da cidade de Lucerna (Suíça), e deve contar com a participação de chefes de Estado, entre eles o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Mais de 100 países estão sendo convidados para o evento.

A intenção da Suíça de contar com o Brasil foi manifestada durante agenda do chanceler Mauro Vieira na Suíça, que sediará o evento.

Em um primeiro contato, antes do convite oficial, o Brasil chegou a indicar que só aceita participar do debate com a presença da Rússia, o que não deve ocorrer. O Kremlim já deixou claro que não quer participar da iniciativa, já que considera o evento um projeto dos “democratas americanos”.



Desde janeiro, a Suíça tem debatido a organização de uma conferência para debater a criação de uma estrutura que favoreça o debate sobre a paz na Ucrânia, com a participação da Rússia no debate.

O evento foi um pedido do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, que discute o evento com a União Europeia, os membros do G7 e países como China e Índia, que tentam convencer os russos.

O Brasil entende que os russos devem participar de qualquer iniciativa internacional que debata a paz e passe por uma negociação com Kiev.

'Castelo do Harry Potter' da Ucrânia é atingido em bombardeio russo

‘Castelo do Harry Potter’ da Ucrânia é atingido em bombardeio russo

Na avaliação da diplomacia brasileira, não é possível debater o conflito entre dois atores sem a participação de um deles.

Moscou afirma que não é contra as negociações pela paz, mas também diz que não participará dos debates na Suíça porque acredita que o país abandonou a neutralidade em relação à guerra.

Historicamente neutra, a Suíça já agiu como mediadora de outros conflitos no passado e agora pretende buscar uma resolução para esta guerra, que já dura mais de dois anos.

Ex-chanceler Celso Amorim é assessor especial da Presidência — Foto: AGÊNCIA BRASIL

Na semana passada, o assessor especial da presidência da República, Celso Amorim, viajou à Rússia para participar semana de uma conferência internacional sobre segurança, promovida pelo Kremlin.

Em Moscou, Amorim realizou uma série de reuniões bilaterais. Entre os encontros de Amorim estavam agendas com o chanceler da Rússia, Sergey Lavrov, e com o Secretário do Conselho de Segurança Russo, Nikolai Patrushev.

Segundo fontes da diplomacia brasileira, os encontros trataram, sobretudo, sobre a guerra entre Rússia e Ucrânia.

“A conversa aconteceu porque se busca a possibilidade de construção de uma paz possível”, contou um representante do Planalto.

Durante o evento sobre segurança, Celso Amorim também discutiu outros temas da agenda internacional, como a interação entre os países na ONU e no BRICS. A

lém de ter feito críticas ao uso da Inteligência Artificial nos ataques israelenses à Faixa de Gaza e a alianças militares entre países, no mundo atual.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

donald-trump-volta-a-ser-multado,-e-juiz-diz-que-ele-sera-preso-se-desobedecer-ordem-de-silencio;-horas-depois,-trump-faz-novo-post

G1 Mundo

Donald Trump volta a ser multado, e juiz diz que ele será preso se desobedecer ordem de silêncio; horas depois, Trump faz novo post

O juiz Juan Merchan, que aplicou a multa, afirmou ainda que prenderá o ex-presidente se ele voltar a descumprir a medida. Trump voltou a criticar publicamente o juiz na tarde desta terça (leia mais abaixo). Merchan multou Trump em US$ 9 mil (cerca de R$ 46,5 mil) por desobedecer a ordem de silêncio. Na sessão, os promotores do caso alegaram que o ex-presidente descumpriu a ordem dez vezes. O juiz […]

today30 de abril de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%