G1 Santos

Tiroteio deixa um homem morto e dois trabalhadores baleados no litoral de SP; operação soma 28 mortes

today19 de fevereiro de 2024 5

Fundo
share close

Uma equipe da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) matou um homem suspeito e deixou dois trabalhadores feridos, na manhã desta segunda-feira (19), no morro do São Bento, em Santos, no litoral de São Paulo. Segundo a polícia, houve um confronto. Os moradores, porém, dizem que os policiais chegaram atirando na comunidade. Com isso, subiu para 28 o número de suspeitos que morreram em decorrência da Operação Verão, que foi reforçada após o assassinato do PM da Rota Samuel Cosmo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), policiais militares da Rota faziam patrulhamento no morro para averiguar uma denúncia de tráfico de drogas, por volta das 8h. Eles viram um grupo de suspeitos e, ao se aproximarem, os policiais teriam sido recebidos. Logo em seguida, houve confronto.

Um homem foi baleado e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Noroeste, mas não resistiu. Dois funcionários da Geologus, empresa contratada pela Prefeitura de Santos para executar serviços de contenção e drenagem no local, foram atingidos. Segundo a SSP, eles ficaram feridos por conta de “estilhaços”



Um dos trabalhadores, baleado de raspão na perna esquerda, apresentou outra versão. Ao g1, ele relatou que os policiais “chegaram atirando”, na entrada do morro. Uma mulher também foi testemunha do caso e conversou com a reportagem. Os dois preferiram não serem identificados.

O trabalhador contou que descia o morro para pegar um martelete – instrumento usado para quebrar pedras – quando se deparou com os agentes disparando contra o rapaz que morreu. Os tiros teriam atingido a cabeça do homem.

“Nós gritamos ainda: ‘aqui tem morador, tem morador’. Ele [PM] não quis saber e ainda deu outro tiro, que acertou eu e um amigo meu que estávamos trabalhando”, contou.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) compareceu ao local e socorreu o suspeito à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Noroeste, mas, segundo a prefeitura, ele morreu no caminho.

“Eu estava bem mais para cima e ele [homem morto] vinha de baixo para cima correndo. Foi mais de um [tiro], foi bem mais de um. Foram uns sete tiros, por aí, para mais”, lembrou o trabalhador.

Outra moradora, que preferiu se identificar apenas como Daiane, disse ao g1 que descia para trabalhar quando tudo aconteceu. A Polícia Militar teria bloqueado a descida e subida de pessoas no local após os tiros.

“Foi muito tiro, muito tiro. Eram 8h quando começou o tiroteio. Mas, foi só da parte da polícia mesmo, não teve outro tiro, foi só fuzil”, relatou.

Antes de morrer, ela conta que o homem subiu correndo a ladeira do morro. “Eles balearam o menino, o menino caiu no chão. O trabalhador levantou a mão pra cima, falando que era trabalhador. E, mesmo assim, eles continuaram atirando”.

Os trabalhadores foram socorridos pelos próprios colegas de trabalho até a UPA, onde foram atendidos e liberados. Segundo a empresa relatou à prefeitura, ambos passam bem e não correm risco de morte.

Segundo a SSP, durante a Operação Verão na Baixada Santista, iniciativa voltada ao combate à criminalidade, 681 suspeitos foram presos, incluindo 254 procurados pela Justiça. Além disso, foram apreendidos 158,8 quilos de drogas e 79 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito.

Até o momento, 28 pessoas morreram em confronto com a polícia, entre elas um homem apontado como o líder de uma facção criminosa envolvido com o tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro, tribunal do crime e atentado contra agentes públicos.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

pela-primeira-vez-temos-um-presidente-taxado-de-“persona-non-grata”

Pleno News

Pela primeira vez temos um presidente taxado de “persona non grata”

HomeOpiniãoMarco FelicianoPela primeira vez temos um presidente taxado de “persona non grata" Lula comparou a reação justa de Israel ao Hamas com o Holocausto dos judeus na Alemanha na 2ª Guerra Mundial Marco Feliciano - 19/02/2024 14h11 Presidente Lula, em coletiva de imprensa em Adis Abeba, Etiópia Foto: Ricardo Stuckert / PR Um chefe de Estado representa todo o povo de seu país e, pela liturgia de seu cargo, deve […]

today19 de fevereiro de 2024 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%