Gospel Prime

Trabalhadores não se sentem confortáveis para expressar fé no local de trabalho, diz estudo

today8 de dezembro de 2023

Fundo
share close

Um estudo realizado pelo grupo Pearn Kandola revelou que muitos profissionais religiosos no Reino Unido e nos EUA se sentem desconfortáveis ao expressar sua fé no ambiente de trabalho.

Nesse sentido, a pesquisa, que ouviu mais de 6.000 trabalhadores que seguem o Judaísmo, Islamismo, Sikhismo, Budismo, Hinduísmo ou Cristianismo, identificou que quase metade (47%) dos participantes não se sentia à vontade para discutir as festividades religiosas que celebram durante o expediente.

Segundo Christian Today, apenas cerca de um terço (36%) acreditava que seus gestores diretos ficariam satisfeitos com eles tirando folgas para celebrar eventos religiosos. Um quinto (19%) relatou ter tido pedidos de folga para celebrar feriados religiosos rejeitados pelo empregador.

Do mesmo modo, menos de um quarto (23%) se sentia à vontade para usar vestimentas ou símbolos religiosos no ambiente de trabalho, e, dos que o faziam, apenas 16% afirmaram se sentir confortáveis ao fazê-lo.

Resultados da expressão de fé no ambiente profissional

Além disso, o estudo destacou uma mistura de resultados positivos e negativos resultantes da expressão de fé no ambiente profissional. Entre os resultados positivos, estão uma maior conscientização e compreensão, relacionamentos melhorados com colegas de trabalho e um aumento no bem-estar no ambiente de trabalho.



No entanto, entre os resultados negativos, incluem-se “estereótipos e discriminação, zombarias e maus-tratos, exclusão e uma sensação de isolamento”. Em alguns casos, houve conflito entre os horários de trabalho e a observância religiosa.

Assim, o relatório ressaltou que muitos profissionais não recebem o apoio necessário para expressar ou praticar suas crenças religiosas no trabalho, e a religião muitas vezes é negligenciada nas estratégias de diversidade e inclusão das empresas.

Portanto, as recomendações do estudo para as empresas incluem “compreender e reduzir preconceitos relacionados à religião” e garantir que políticas estejam em vigor para prevenir assédio no local de trabalho com base na religião. O relatório conclui que “muitas pessoas não se sentem à vontade para expressar suas crenças religiosas no trabalho quando uma organização carece desse senso de inclusão e abertura”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Gospel Prime.

Por: Redacao

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

medico-aceitou-a-jesus-cristo-apos-estudar-iris-do-olho-humano

Gospel Prime

Médico aceitou a Jesus Cristo após estudar íris do olho humano

Quando chegou à América como um imigrante chinês pobre, o Dr. Ming Wang viu apenas oportunidades e eventualmente obteve um doutorado em física a laser no MIT e um MD em Harvard. O cirurgião oftalmologista internacionalmente aclamado, pioneiro em várias técnicas de correção de visão, tinha apenas 50 dólares e mal falava inglês. Mesmo assim, estava feliz porque era livre. “Eu vim da China como ateu. Eu não acreditava em […]

today8 de dezembro de 2023

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%