G1 Santos

Trio acusado de realizar ‘tribunal do crime’ em maior facção criminosa do país é condenado a 35 anos de prisão

today10 de março de 2024 6

Fundo
share close

O crime aconteceu em 2020, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Na ocasião, José Inácio Vieira da Silva foi condenado e morto pelo ‘tribunal do crime’. Outros dois homens foram sequestrados, mas conseguiram fugir no caminho para serem mortos. Eles pularam do carro em movimento em frente à Delegacia de Polícia Sede da cidade (relembre o caso abaixo).

Mikael de Jesus Gonçalves era o ‘disciplina’ da facção, ou seja, o responsável por repassar as regras da organização na cidade, o que incluía decisões para execução de integrantes de grupos rivais. Luiz Carlos do Nascimento Pereira e Robert Machado Santos eram os ‘seguranças’ e cumpriam as determinações impostas.

De acordo com o documento da sentença, obtido pela equipe de reportagem, o juiz da Comarca de Santos (SP) Alexandre Betini, afirmou que os réus demonstram grande periculosidade. Por este motivo, não poderão recorrer a decisão em liberdade.



“Submetidos a julgamento pelo Egrégio Tribunal do Júri da comarca de Santos, o corpo de jurados acolheu todas as acusações e teses sustentadas pelo Ministério Público na denúncia e em plenário”, explicou o juiz.

O g1 tentou contato com a defesa dos réus, mas não a localizou até a última atualização desta reportagem.

De acordo com a denúncia do Ministério Público (MP), entre os dias 27 e 28 de novembro de 2020, o trio decidiu sequestrar e torturar três homens. O objetivo era fazer com que eles admitissem que faziam parte de uma organização criminosa, que atua no narcotráfico e é rival da maior facção do país.

Os dois homens que sobreviveram são de Cajazeiras (PB) e estavam há um mês em Guarujá. José Inácio, morto pelos criminosos, era primo deles e veio antes para o litoral de São Paulo. Não há informações de quanto tempo ele estava na cidade.

O ‘disciplina’ e os ‘seguranças’ estavam acompanhados de outros integrantes da facção, que ainda não foram identificados. Eles sequestraram os dois homens em uma casa, onde moravam no Sítio Conceiçãozinha, e os levaram para um barraco na comunidade da Prainha.

Segundo o MP, a dupla foi submetida a intenso sofrimento físico e mental. Ela foi obrigada a levá-los até o José Inácio, que acabou sendo condenado pelo ‘tribunal do crime’. Ele teve as mãos amarradas com uma corda, foi estrangulado, asfixiado e morto com cinco tiros às margens da Rodovia Cônego Domênico Rangoni.

Os outros dois homens ficaram por horas sendo agredidos e ameaçados de morte dentro do barraco. Depois, o trio os colocou em um carro para levá-los em um local — não especificado — onde as covas já haviam sido cavadas para enterrar os corpos.

Durante o trajeto, eles tiveram que diminuir a velocidade por conta de um semáforo em frente à Delegacia Sede de Guarujá. As vítimas, portanto, aproveitaram a situação e pularam do carro em movimento. As imagens obtidas pelo g1 mostram os ferimentos causados por esta ação (veja a foto no início da reportagem)

A dupla conseguiu pedir socorro e os policiais militares, que estavam em frente ao DP, conseguiram deter os criminosos. Durante a abordagem, o ‘disciplina’ disse que outra facção criminosa não poderia entrar na cidade e, por este motivo, a dupla seria morta. O trio foi preso em flagrante.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-ataca-torre-residencial-na-faixa-de-gaza;-ha-um-impasse-nas-negociacoes-de-cessar-fogo-antes-do-ramada

G1 Mundo

Israel ataca torre residencial na Faixa de Gaza; há um impasse nas negociações de cessar-fogo antes do Ramadã

O prédio de 12 andares foi danificado no ataque, e os moradores disseram que dezenas de famílias ficaram desabrigadas, embora não haja relatos de vítimas até o momento. Os militares de Israel disseram que o bloco residencial estava sendo usado pelo Hamas para planejar ataques contra israelenses. Um dos 300 moradores da torre, localizada a cerca de 500 metros da fronteira com o Egito, disse à Reuters que Israel lhes […]

today9 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%