G1 Mundo

Trump ganha tempo em julgamento de pagamentos a atriz pornô

today15 de março de 2024 8

Fundo
share close

A defesa de Trump argumentou que precisava de um mês a mais porque a promotoria demorou para enviar evidências que encontrou e que devem ser analisadas também pelos advogados que representam o ex-presidente. O juiz Juan Merchan concordou e deu mais 30 dias para eles se prepararem.

Trump enfrenta quatro processos criminais. A tática dele tem sido tentar adiar todos os julgamentos para que aconteçam após as eleições presidenciais, em 5 de novembro. Por isso, o adiamento desta sexta -feira (15) representa uma vitória para o ex-presidente.

Segundo documentos da corte de Nova York, os promotores estavam prontos para que o julgamento começasse em 25 de março, mas não se opuseram ao adiamento para ter certeza de que a defesa do ex-presidente tenha a chance de ver todas as evidências.



Trump ainda tenta outras maneiras de adiar o julgamento por mais tempo ou até um anulamento do caso, segundo pedidos da defesa ao tribunal.

Eleições nos EUA: Entenda processos que podem afetar a candidatura de Trump

Eleições nos EUA: Entenda processos que podem afetar a candidatura de Trump

Segundo a acusação, ela teve que manter silêncio sobre um suposto relacionamento sexual com o magnata em 2006, quando ele já estava casado com Melania Trump.

O empresário nega ter tido qualquer relação extraconjugal com a atriz.

O pagamento em si não é ilegal, o problema, de acordo com o Ministério Público, é que Trump escondeu esse pagamento como se fosse parte dos honorários ao seu advogado na época.

O promotor de Nova York Alvin Bragg o acusa de 34 delitos de fraude contábil, que podem ser punidos com até quatro anos de prisão se for considerado culpado.

Trump diz que tem imunidade por ser ex-presidente

Os advogados de Trump invocam o argumento de que ele goza de imunidade penal por ser ex-presidente do país, uma questão que será debatida pela Suprema Corte federal em Washington a partir de 25 de abril.

De acordo com um documento judicial datado de 7 de março e divulgado nesta segunda-feira, a defesa argumenta que esse “tribunal deveria adiar o julgamento até que a Suprema Corte (federal) reveja o alcance da doutrina da imunidade presidencial”.

A Suprema Corte marcou o debate sobre a imunidade de Trump para 25 de abril.

A advogada da escritora afirmou, nesta segunda-feira, que talvez ela entre com mais uma ação por difamação. “O prazo de prescrição por difamação na maioria das jurisdições é de um a três anos. Como dissemos após o último veredicto do júri, seguimos vigiando cada declaração que Donald Trump faz sobre nossa cliente, E. Jean Carroll”, disse a advogada.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

entenda-por-que-o-ex-namorado-da-promotora-que-processou-trump-no-estado-da-georgia-pediu-demissao

G1 Mundo

Entenda por que o ex-namorado da promotora que processou Trump no estado da Geórgia pediu demissão

O ex-namorado, Nathan Wade, pediu demissão horas depois da decisão da Justiça. Fani processou Trump e outras 14 pessoas de tentar reverter os resultados da votação para presidente em 2020, que foram vencidas por Joe Biden no estado da Geórgia. Em janeiro, um dos acusados pediu para que a Justiça afastasse Fani do cargo porque o principal investigador, o advogado Nathan Wade, que Fani nomeou como promotor, tinha uma relação […]

today15 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%