G1 Mundo

Trump vence com folga primeiras prévias para as eleições dos Estados Unidos em Iowa

today16 de janeiro de 2024 5

Fundo
share close

Até a última atualização desta reportagem, mais de 95% dos votos haviam sido apurados. Até então, a prévia indicava o seguinte resultado:

  • Donald Trump: 51,0% — 20 delegados
  • Ron DeSantis: 21,2% — 8 delegados
  • Nikki Haley: 19,1% — 7 delegados
  • Vivek Ramaswamy: 7,7% — 2 delegados
  • Outros: 1,0%

Trump comemorou a vitória e parabenizou os concorrentes republicanos durante um pronunciamento. Ele agradeceu aos eleitores e companheiros de partido pela votação.



Durante o discurso, Trump criticou o atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e afirmou que o país estava sendo totalmente destruído.

“Nós eramos uma grande nação há três anos, e hoje as pessoas estão rindo de nós”, disse.

Trump também ensaiou uma mensagem de união entre republicanos, democratas, conservadores e liberais: “Nós vamos nos unir. Isso vai acontecer em breve”.

No discurso, o candidato também falou sobre políticas de imigração, afirmando que os Estados Unidos estão sofrendo uma “invasão” e que são necessárias deportações.

Este é o pontapé inicial para a disputa presidencial dos Estados Unidos. O país realizará eleições em novembro de 2024 e devem ter uma disputa acirrada entre Joe Biden e Donald Trump.

Apesar de representar apenas 1% dos delegados republicanos em todo o país, a disputa desta segunda-feira em Iowa funciona como o primeiro termômetro das eleições.

As pesquisas de boca de urna também indicaram que políticas para conter a imigração são a preocupação dos eleitores do estado – uma das bandeiras um sinal de que questões de economia, como inflação e emprego, podem não ser o principal motivador para a definição de votos.

O tema também é uma das principais bandeiras de Trump, que, quando era presidente, chegou a defender a construção de um muro separando seu país do México.

As primeiras prévias das eleições dos EUA ocorrem também na véspera do julgamento de um dos quatro processos que Donald Trump responde na Justiça norte-americana – mesmo se condenado em algum deles, Trump poderia governar caso vencesse as eleições, pela legislação do país.

Segundo uma pesquisa realizada também entre os eleitores que participaram dos caucus em Iowa pelo Instituto Edison Research, dos EUA, 63% deles acreditam que o ex-presidente dos EUA poderia governar caso seja condenado.

O Partido Democrata, do presidente Joe Biden, também realizou caucus nesta segunda em Iowa, mas, ao contrário dos republicanos, os eleitores democratas não votam no processo. A votação para definir o candidato do partido acontece por meio de voto por correio em março – Biden é o grande favorito.

Nos EUA, o voto é indireto – eleitores escolhem, em votações realizadas por cada estado, representantes dos candidatos que querem eleger. Quem tiver mais representantes, também chamados de delegados, vence a disputa.

Entenda como funciona o sistema eleitoral dos Estados Unidos

Entenda como funciona o sistema eleitoral dos Estados Unidos

👉 Os caucus, o modelo de votação mais antigo para definir candidatos ainda em vigor nos EUA (o primeiro foi no século 18), são espécies de pequenas assembleias nas quais eleitores debatem e, na sequência, votam no candidato que acham que deve concorrer pelo partido do qual são afiliados – neste caso, o Partido Republicano (veja abaixo a lista de pré-candidatos).

O Partido Democrata também terá seu próprio caucus em Iowa, na mesma data, mas não fará votação; para os democratas, o processo é apenas um debate, seguido de uma votação geral que só ocorrerá em março.

Na prática, a votação não significará muito: Iowa, estado da região central dos Estados Unidos, representa cerca de 1,6% do total de delegados totais. Mas tem um poder simbólico: serve como uma espécie de termômetro e reforço moral para o candidato eleito.

Foram os caucus no estado que revelaram, por exemplo, dois ex-presidentes até então pouco conhecidos no cenário mundial e até nacional: Jimmy Carter, que venceu em 1976, e Barack Obama, que ganhou ali a disputa contra Hillary Clinton e, depois, a corrida pela Casa Branca em 2008. Os dois levaram Iowa quando os democratas ainda realizavam votação durante seu caucus no estado.

No caso dos republicanos, no entanto, Iowa não tem sido um termômetro do apoio nacional. Nenhum dos vencedores do partido das últimas três prévias de Iowa –em 2008, 2012 e 2016– conseguiu se tornar o candidato republicano.

Isso se deve, em grande parte, ao perfil dos eleitores do estado, onde 90% da população é branca e de maioria conservadora. Uma grande parte dos republicanos de lá é também da comunidade cristã evangélica, que tende a apoiar o candidato socialmente mais conservador.

De qualquer maneira, pesa muito o fato que, há mais de 50 anos, os caucus de Iowa são a abertura oficial do complexo calendário eleitoral que define o presidente da maior potência mundial.

Registros do “caucus” de 1976 guardados até hoje por eleitor de Iowa; “caucus” acontece nesta segunda — Foto: Mark Schiefelbein/AP

  • Os caucus, na prática, são uma centena de pequenas assembleias realizadas em todo o estado em quase 1.700 escolas e locais públicos. Participam dela militantes dos partidos.
  • Como as eleições nos Estados Unidos não são diretas, a votação para presidente é feita por delegados escolhidos através dessas votações nos caucus e as primárias.
  • Primeiro, um debate é realizado, e quem participa deve ficar do início ao fim do encontro.
  • Os delegados, em representação de cada candidato, podem fazer discursos a favor ou contra pré-candidatos, além de discutir outros temas partidários internos.
  • Ao final do debate e dos discursos, é feita a votação, em cédulas em papel, por escrito —não há uma lista de candidatos pré-definida.
  • Cada eleitor vota em delegados que representam o pré-candidato que querem na Casa Branca – mais para frente, são esses delegados que irão à convenção do Partido Republicano e votarão em quem representam.

Parte dos especialistas e eleitores nos EUA critica o processo com o argumento de que se trata de um sistema arcaico e menos acessível que as primárias, já que os eleitores que queiram votar devem chegar no início do debate e permanecer até o fim dele.

Esse modelo era aplicado em vários estados e, aos poucos, foi caindo em desuso. Atualmente, os EUA são também o único país no mundo que adota o caucus como uma das formas de eleger um candidato.

Donald Trump, Ron DeSantis e Nikki Haley são principais nomes na disputa pela candidatura do Partido Republicano — Foto: AFP

Donald Trump. O ex-presidente dos EUA é réu em quatro casos criminais separados, mas mesmo assim os republicanos gostam dele — 61% dos eleitores do partido devem votar em Trump.

  • Nikki Haley é ex-governadora da Carolina do Sul e ex-embaixadora dos EUA nas Nações Unidas. Reconhecida como uma conservadora, ele tem 12% de apoio entre os republicanos.
  • Ron DeSantis é o atual governador do estado da Flórida. DeSantis se posiciona à direita de Trump em questões sociais, mas tem enfrentado dificuldades em ganhar destaque.
  • Vivek Ramaswamy é um ex-investidor e executivo de biotecnologia. Ele fundou uma empresa para pressionar empresas a abandonar iniciativas ambientais, sociais e de governança corporativa.
  • Asa Hutchinson é ex-governador do estado de Arkansas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

mesmo-com-operacoes-militares-e-estado-de-excecao,-mais-de-40-prisioneiros-estao-foragidos-no-equador

G1 Mundo

Mesmo com operações militares e estado de exceção, mais de 40 prisioneiros estão foragidos no Equador

O presidente Daniel Noboa declarou estado de emergência por 60 dias na semana passada, incluindo toque de recolher noturno, e designou 22 grupos criminosos como terroristas. A recente explosão de violência -- incluindo o ataque por homens armados a programa de tv ao vivo, explosões em várias cidades e o rapto de agentes da polícia -- parece ser uma resposta aos planos de Noboa para resolver a crise de segurança […]

today16 de janeiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%