G1 Mundo

Túneis subterrâneos, escudos humanos e área urbana povoada tornam entrada de Israel em Gaza uma ‘guerra 360 graus’, diz pesquisador

today17 de outubro de 2023 6

Fundo
share close

Invasão ao território controlado pelo Hamas é uma das ‘operações militares mais difíceis para qualquer exército’, explica o professor de relações internacionais Vitelio Brustolin.


A guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas chega ao 11º dia nesta terça-feira (17), em um cerco à Faixa de Gaza, um território de alta complexidade para a entrada do exército israelense.



A área de 365 km² tem uma das mais altas densidades populacionais do mundo e um verdadeiro labirinto subterrâneo, com túneis de cerca de 500 km usados pelo grupo terrorista como locais de emboscada. Este é o cenário que faz das operações em Gaza uma verdadeira “guerra 360 graus”.

Israel x Hamas – qual o poderio militar dos dois lados?

Israel x Hamas – qual o poderio militar dos dois lados?

É o que explica o professor de relações internacionais da UFF Vitelio Brustolin. Em entrevista a Natuza Nery, ele detalha os desafios de uma operação militar no território, onde também estão civis, incluindo reféns sequestrados pelo Hamas.

“Para invadir uma área como essa, uma área urbana, que é uma das operações militares mais difíceis para qualquer exército, os exércitos têm que dividir as áreas em perímetros. As forças armadas de Israel vão ter que entrar em cada prédio, em cada casa, em cada cômodo. ”

Uma imagem mostra casas e edifícios destruídos em ataques israelenses, em Jabalia, no norte da Faixa de Gaza, em 11 de outubro de 2023. — Foto: REUTERS/Anas al-Shareef

A Faixa de Gaza tem uma população civil de aproximadamente 2,1 milhões de pessoas, incluindo cerca de 1,7 milhão de refugiados palestinos.

O porta-voz do Hamas disse que há cerca de 200 a 250 israelenses mantidos reféns em Gaza, número maior que o anteriormente estimado pelo governo de Israel. Acompanhe em tempo real.

“O Hamas planejou essa operação por pelo menos um ano”, diz. “A maior parte daquela população não faz parte nem tem simpatia pelo Hamas… Essas pessoas são usadas como escudos humanos.”

Professor explica o que faria os EUA entrarem em guerra direta no Oriente Médio

Professor explica o que faria os EUA entrarem em guerra direta no Oriente Médio

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

http://g1.globo.com/

http://g1.globo.com/




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

‘me-sinto-um-anjo-da-morte’:-o-brasileiro-encarregado-de-avisar-familias-em-israel-sobre-morte-de-parentes

G1 Mundo

‘Me sinto um anjo da morte’: o brasileiro encarregado de avisar famílias em Israel sobre morte de parentes

Mas desde que uma incursão do Hamas deixou mais de 1.300 mortos no país, a demanda por esses serviços chegou a um nível nunca antes registrado. Com isso, oficiais das Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) que não participam normalmente dos esforços de comunicação com famílias de vítimas foram convocados para essa missão. O brasileiro Rafael* é major do Exército e foi um dos intimados. Desde […]

today17 de outubro de 2023 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%