G1 Mundo

Venezuela realiza primárias para encontrar rival para Maduro nas eleições de 2024

today22 de outubro de 2023 7

Fundo
share close

Ela pode concorrer nas primárias porque a oposição realiza essa votação sem apoio estatal, mas ela não poderá se registrar junto às autoridades eleitorais para aparecer na cédula da eleição presidencial.

A eleição presidencial do país acontecerá no segundo semestre de 2024, afirma o acordo eleitoral, e observadores internacionais serão autorizados a monitorar a votação.

Cada lado pode escolher seu candidato de acordo com suas regras internas, mas esse acordo não reverteu as proibições já impostas a algumas figuras da oposição — incluindo Maria Corina Machado.



A oposição afirmou que as proibições, impostas pelo controlador-geral, são ilegais. O governo dos EUA rejeitou quaisquer obstáculos aos candidatos da oposição.

Mesmo assim, o governo da Venezuela foi inflexível. Jorge Rodríguez, chefe da delegação do governo, disse, em entrevista coletiva após a assinatura, que se existe uma decisão do controlador-geral da República “você não pode ser candidato, quero esclarecer isso”.

Falando antes de Rodríguez, o chefe da delegação da oposição, Gerardo Blyde, disse que o acordo poderia permitir que candidatos banidos “recuperem seus direitos”.

  • O ex-deputado venezuelano Juan Requesens
  • O jornalista Roland Carreño, colaborador do líder político Juan Guaidó,
  • Marco Garcés Carapaica, estudante universitário detido em 2020 por estar no mesmo veículo de um ex-marine americano;
  • Mariana Barreto, presa por protestar em 2019 contra irregularidades no fornecimento de gasolina
  • Eurinel Rincón, que era secretária no ministério da Defesa e foi acusada de traição à pátria e vazamento de informações depois de aparecer em uma foto ao lado de um político da oposição.

EUA aliviou sanções após acordo

Em troca, os norte-americanos pediram o fim das inabilitações de políticos e a libertação dos presos políticos na Venezuela.

Washington havia prometido que levantaria as sanções se Caracas desse passos concretos em favor de eleições livres e transparentes em 2024.

O embargo petroleiro estava em vigor desde abril de 2019 e limitava a comercialização, vital para a economia do país.

Uma segunda licença autoriza transações com a estatal venezuelana Minerven, para “reduzir o comércio de ouro no mercado informal”, informou o Tesouro.

Também foram alteradas duas licenças “para eliminar a proibição da negociação secundária de certos títulos da PDVSA”, estatal venezuelana do petróleo. A proibição da negociação no mercado primário continuará em vigor.

O presidente Maduro expressou satisfação com as medidas, anunciadas após meses de negociações nos bastidores. Com esses acordos, a Venezuela “retorna com força ao mercado de petróleo e gás, de forma progressiva”, comemorou.

EUA liberam petróleo venezuelano, depois de Maduro soltar presos políticos

EUA liberam petróleo venezuelano, depois de Maduro soltar presos políticos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

numero-de-mortos-na-guerra-entre-israel-e-o-hamas-passa-de-seis-mil

G1 Mundo

Número de mortos na guerra entre Israel e o Hamas passa de seis mil

Neste domingo (22), o Ministério da Saúde palestino informou que o número de mortos na Faixa de Gaza subiu para 4.651 vítimas. Destas, 40% seriam crianças. Em Israel, foram confirmadas em torno de 1,4 mil mortes e mais de 4 mil feridos, a maior parte deles no dia 7. Nesta madrugada, mais de 50 palestinos foram mortos em ataques aéreos à Faixa de Gaza, segundo autoridades médicas palestinas. Israel tinha […]

today22 de outubro de 2023 17

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%