G1 Santos

Vídeo mostra mais de 70 navios ‘estacionados’ e aguardando para entrar no Porto de Santos

today18 de fevereiro de 2024 9

Fundo
share close

Área de fundeio, termo técnico, tem 58,7 milhões de m² está a 10 quilômetros da costa. Ela está dividida em seis polígonos para atender embarcações diferentes.




Vídeo mostra mais de 70 navios 'estacionados' e aguardando para entrar no Porto de Santos

Vídeo mostra mais de 70 navios ‘estacionados’ e aguardando para entrar no Porto de Santos

Uma cena chamou a atenção de quem estava na costa e no mar, próximo ao Porto de Santos, no litoral de São Paulo, o maior da América do Sul. Mais de 70 navios estavam na área de fundeio que, de forma simples, é como se fosse o estacionamento das embarcações. É onde esperam pelas cerca de 60 vagas nos berços de atracação no cais santista.

A Autoridade Portuária de Santos (APS) informou à equipe de reportagem que nesta área de fundeio costuma ficar ancorados aproximadamente 70 navios. No vídeo ao qual o g1 obteve acesso, neste domingo (18), é possível contar ao menos 73 embarcações.

Ainda de acordo com a APS, a área citada está a algo em torno de 10 quilômetros de distância da costa em uma área de 58,7 milhões de m², que chega perto do Parque Estadual Marinho da Laje de Santos.

A região, como é possível ver na imagem abaixo, é dividida em seis polígonos. Entenda abaixo:

  1. Navios de guerra
  2. Embarcações que estão em inspeção sanitária ou necessitando serviço de bordo
  3. Navios com programação definida de atracação para as próximas 24 horas
  4. Destinado a navios com ou sem programação de atracação
  5. Embarcações com cargas inflamáveis ou explosivas
  6. Voltado a navios de quarentena e embarcações com suspeita de avaria no embalado ou vazamento de material radioativo

Ilustração com a área de fundeio para navios que aguardam um berço para atracação e as embarcações à direita — Foto: Divulgação e reprodução

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

rapper-tupinamba-fala-sobre-a-forca-da-arte-dos-povos-originarios:-‘ideias-nao-faltam,-mas-faltam-espacos’

G1 Santos

Rapper tupinambá fala sobre a força da arte dos povos originários: ‘Ideias não faltam, mas faltam espaços’

Wesley Amaral dos Santos, conhecido como Wescritor, contou que seu interesse pela música nasceu em um momento de conexão com suas origens. O avô, Ancião Amaral, é da Aldeia Itapoã do povo tupinambá de Olivença, na Bahia. “Foi a salvação de uma depressão que eu tive. Larguei tudo e fui ficar com meu avô na Bahia. Lá, aconteceu esse resgate e eu pude sentir tudo. Já fazia música, mas não […]

today18 de fevereiro de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%